Piauiense pode ter sido vítima de crime premeditado

Ela e uma amiga foram mortas em um matagal em Petrolina-PE.

Na última quinta-feira, dia 08, Lindolfo Nunes da Silva, de 40 anos, e Lucas Conceição Santos, de 38 anos, que foram presos  acusados  de assassinar as jovens Taiane Rocha e Bruna Torres, ambas de 19 anos, que foram encontradas mortas na segunda-feira(05) em um matagal no Distrito Industrial, em Petrolina, deram detalhes de como ocorreu o crime. O caso segue sendo investigado pela polícia que acredita em premeditação. 

Os corpos das jovens foram encontrados em um matagal, próximo a uma pista de motocross. Bruna de Souza Torres é natural de São Francisco de Assis do Piaui.  Elas estavam nuas, com as mãos amarradas. No início, a polícia suspeitou que elas foram violentadas e mortas, mas a possibilidade de estupro foi totalmente descartada pelo delegado  Marceone Ferreira. 

Taiane Rocha e Bruna Torres, ambas de 19 anos
Taiane Rocha e Bruna Torres, ambas de 19 anos


Motivação

A motivação do crime teria sido latrocínio (roubo seguido de morte),  já que os celulares das duas jovens tinham sido roubados.

A delegada Sara  Machado, que também é responsável pelo caso, conta que os suspeitos conheciam a rotina das duas amigas. “Segundo a versão do Lucas, eles estavam fazendo uso de drogas no posto, quando as duas vítimas atravessaram a rua. O Lindolfo já sabia o trajeto que elas faziam e disse que tinha dois celulares para 'ganhar fácil'. Então eles seguiram o trajeto das vítimas, na frente delas para não chamar a atenção", afirmou a delegada. 

“Uma das vítimas morava na Rua 9 e o Lindolfo na Rua 7, onde é conhecido por ser usuário de drogas e pelas práticas de roubos e furtos. Ele tinha uma área de consumo e venda de drogas que era o posto de combustível, que fica a alguns metros do local do crime. Todos os dias as vítimas eram vistas por ele, fazendo aquele trajeto, no mesmo horário, indo para o trabalho", continuou.

Os dois acusados
Os dois acusados


Jovens foram levadas para matagal

Delegada explica de que forma as jovens foram levadas para o local isolado. "Eles diminuíram o passo, até que as vítimas os alcançaram. Taiane foi abordada com uma faca pelo Lindolfo, que ameaçou Bruna. Ele disse que se ela corresse, mataria a amiga. E assim os dois indivíduos conseguem levar as meninas para o matagal”, acrescentou. 

A polícia diz que, a princípio, a intenção dos envolvidos era a prática do crime sexual. Mas devido a algumas circunstâncias que foram apresentadas no depoimento, eles desistiram na hora do crime. 

Local onde os corpos foram encontrados
Local onde os corpos foram encontrados



Local onde corpos foram encontrados é incendiado

Delegado Marceone Ferreira  afirma que o Instituto de Criminalística (IC) realizou pericia e liberou o local. “O IC já tinha liberado o local. Inicialmente eles fizeram a perícia que tinham que fazer. Mas, as vezes, eles precisam voltar para fazer um 'pente fino', uma análise mais minuciosa, ampliando a área periciada. Porém, o primordial foi feito na hora, onde foram colhidos os vestígios”, acrescentou.

Local onde as joveens foram encontradas foi incendiado
Local onde as joveens foram encontradas foi incendiado


Tio sobre sobrinha encontrada morta: 'esperança era achá-la viva'

O tio de uma das vítimas, identificado como Josivan Feitosa Torres, que achou os corpos, informou que refez o percurso por onde as jovens costumavam  passar todos os dias a caminho do trabalho.  Segundo ele, a esperança era encontrá-las vivas.

"Por volta de 8h30, ele me ligou, pedindo pelo amor de Deus, dizendo que a filha dele tinha sumido, não sabia o que tinha acontecido, porque não tinha chegado ao trabalho. Fui até a delegacia, onde se encontrava a irmã da outra menina, fazendo o Boletim de Ocorrência. Depois, me desloquei até o local, aqui no distrito, onde elas costumavam fazer o percurso, tentando encontrar algum vestígio, na esperança de achá-las vivas", disse.

Peritos investigam morte das duas jovens
Peritos investigam morte das duas jovens


Fonte: Com informações do G1-PE