PM acha droga na bolsa do sertanejo Hudson e operador assume a culpa

Em boletim de ocorrência cantor aparece como testemunha da ocorrência.

O sertanejo Udson Cadorini Silva, de 41 anos, da dupla Edson & Hudson, se envolveu em mais uma ocorrência policial na tarde desta sexta-feira (20) em Limeira (SP), onde tem residência. A Polícia Militar (PM) encontrou 20,69 gramas de maconha dentro de uma bolsa do músico, mas um amigo que estava com o cantor assumiu ser dono da droga.


PM acha droga na bolsa do sertanejo Hudson e operador assume a culpa

PM acha droga na bolsa do sertanejo Hudson e operador assume a culpa

Preso duas vezes em março com drogas e armas e condenado em setembro por posse ilegal de armas e munições, Hudson teve pena substituída por prestação de serviços à comunidade e ajuda financeira a instituição social de Limeira que, em dois anos, vai somar pagamento de aproximadamente R$ 65 mil.

Na ocorrência desta sexta-feira (20), no entanto, como a propriedade da maconha encontrada foi atribuída a outra pessoa, o sertanejo foi considerado apenas testemunha do caso, conforme informações da Polícia Civil de Limeira.

Segundo o boletim de ocorrência registrado no 4º Distrito Policial da cidade, por volta das 14h30 desta sexta, policiais militares avistaram uma caminhonete Toyota Hilux branca com o lacre de uma das placas violado. Ao abordar o veículo, também conforme o BO, os PMs constataram que o motorista era Hudson e o passageiro era o operador Edison Guedes, de 44 anos.

Ainda de acordo com o registro policial, os policiais militares sentiram forte cheiro de maconha no interior do veículo, fizeram uma vistoria e encontraram a droga dentro da bolsa do sertanejo. Hudson admitiu que era o dono da bolsa, mas não da maconha, conforme o boletim de ocorrência. O passageiro do carro, então, admitiu que tinha comprado a droga em Santa Fé do Sul (SP) para consumo próprio, também segundo o BO.

A caminhonete de Hudson e a droga encontrada foram apreendidas e apenas o operador foi orientado a comparecer no Fórum de Limeira caso seja intimado. O G1 tentou falar com Guedes na manhã deste sábado (21), mas ele não atendeu celular. Uma mensagem foi deixada, mas até as 10h30 ele não havia ligado de volta para a reportagem. O advogado do sertanejo também não havia sido encontrado até o mesmo horário.

Prisões e condenação

Em 20 de março de 2013, Hudson foi preso duas vezes por porte e posse ilegais de armas. Na primeira prisão, na madrugada daquele dia, policiais militares abordaram Hudson em uma rua do bairro Vila Cláudia, em Limeira, após chamado da ex-mulher do sertanejo, que ligou para a PM dizendo ter recebido mensagens via celular em que Hudson avisava que iria até a casa dela.

Os policiais encontraram no carro do músico uma pistola 380, um revólver 38, um canivete, um soco-inglês e uma faca de cozinha. Ele pagou R$ 6 mil de fiança e foi liberado.

Na noite do mesmo 20 de março, o sertanejo foi preso pela segunda vez. Desta vez porque PMs baseados em uma denúncia anônima foram à casa dele, também em Limeira, e encontraram no local mais armas e droga. Segundo informações da Polícia Civil à época, uma carabina com documento vencido, uma bereta sem registro, munições de uso proibido e maconha foram localizadas na residência do músico.

A Justiça de Limeira condenou o cantor pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e munições a três anos e seis meses de reclusão. A punição determinada pelo juiz Rogério Danna Chaib, no entanto, acabou substituída por prestação de serviços à comunidade e ajuda financeira a uma instituição social da cidade e que, em dois anos, vai somar aproximadamente R$ 65 mil.

Fonte: G1