PM de Sergipe diz que vai processar a cantora Rita Lee

Policiais que estavam trabalhando durante show se sentiram ofendidos



A Associação dos Militares de Sergipe (AMESE) através da sua assessoria Jurídica representada pelo advogado Plínio Karlo Moares e Costa vai entrar com uma ação de danos morais contra a cantora Rita Lee, que no dia 29 de janeiro fez o ultimo show de sua carreira, na praia da Atalaia Nova, na grande Aracaju.

Na ocasião, a cantora protestou contra o que ela considerou excesso por parte do efetivo contra o seu público e proferiu palavrões ao se dirigir aos militares.

?Os policiais associados à AMESE que trabalharam naquela noite e que se sentiram ofendidos pela cantora podem ingressar na ação. Estamos na fase de junção da documentação desses policiais, trabalho que só devemos concluir em março, quando pretendemos protocolar todas a ação?, destaca o advogado.

Ele informou ainda, que o valor cobrado para cada policial foi de R$ 20 mil, mas que esse valor é usado como base, e cabe ao juiz que for julgar a ação estipular a quantia adequada.

O presidente interino da AMESE, sargento Edgar Menezes apóia a atitude dos militares. ?Não hesitaremos em atender aos associados que desejarem fazer parte dessa ação. Pois são profissionais que merecem respeito?.

Segundo o sargento, o efetivo da noite do show contou com cerca de 110 policiais, nem todos associados, mas que podem entrar com ações independentes caso tenham se sentido ofendidos.

Em conversa com a equipe do G1 SE, a advogada da cantora, que preferiu não ter o nome publicado, afirmou que soube da ação por meio da imprensa e não julga ser esse o momento para se pronunciar sobre o caso.

Fonte: G1