Torres de presídio estavam vazias na fuga de 36 presos em MT

Torres de presídio estavam vazias na fuga de 36 presos em MT

Os detentos escaparam após serrar das grades de uma das celas e cavar um túnel

O comandante da Polícia Militar de Sinop, a 503 km de Cuiabá, coronel Aurélio Vilas Boas, afirmou que apenas duas das quatro torres do Presídio Ferrugem estavam com agentes do sistema prisional durante a fuga de 36 presos na madrugada desta terça-feira (1º). Os detentos escaparam após serrar das grades de uma das celas e cavar um túnel - de quase 30 metros de cumprimento e aproximadamente 70 centímetros de diâmetro - que deu acesso ao lado de fora da unidade.

O coronel Vilas Boas também declarou que pode ter ocorrido uma possível falha na fiscalização no interior de uma das celas onde os presos cumpriam pena. ?Pode ter ocorrido falha da fiscalização na área interna, uma vez que encontramos a terra retirada do túnel dentro de sacos embaixo das camas dos presos?, declarou. Ele acrescentou que os presos usaram um ventilador e até uma estrutura de luz elétrica para iluminar o túnel para a fuga à noite.

A fuga dos presos, segundo o PM, começou por volta das 20h da segunda-feira (30) e terminou pouco depois da meia-noite. No entanto, o comandante da PM em Sinop questionou o fato de ter sido comunicado da fuga, pelo Sistema Prisional, somente após às 2h. ?Houve uma demora para nos comunicar o fato, o que tem prejudicado as buscas aos fugitivos?, afirmou.

Pelo menos 22 policiais militares de Sinop estão à procura dos 36 fugitivos. Apenas um foi recapturado na região do bairro São Cristóvão, até o fechamento desta reportagem. Os fugitivos são considerados de baixa periculosidade. Apenas três presos que estavam dentro da cela não fugiram. Em todo o Presídio Ferrugem cumprem pena 700 detentos, sendo que a unidade tem capacidade somente para 275 presos.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh-MT), que gerencia as questões relacionadas ao sistema prisional. A assessoria informou, na tarde desta terça-feira, que a secretaria já deslocou uma equipe para apurar as circunstâncias em que os fatos aconteceram. Após o resultado do trabalho, a Sejudh deve se pronunciar sobre o assunto. Pela manhã, a direção do presídio disse à produção da TV Centro América em Sinop que foi feita uma vistoria nas celas na última sexta-feira (27), mas naquele dia nenhum indício de uma possível fuga chegou a ser constatado.

Fonte: G1