PM levava drogas e celulares para presídio no CE

O militar foi preso com grande quantidade de drogas e aparelhos celulares

Toda semana, a cada nova vistoria na Casa de Privação Provisória de Itaitinga (CPPL), a história se repetia. Drogas e celulares eram encontrados no interior das celas. A suspeita das autoridades da participação de funcionários no esquema foi confirmada ontem com a prisão do soldado da Polícia Militar Deusimar Pontes Nobre, 39. O militar foi preso com grande quantidade de drogas e aparelhos celulares escondidos em seu veículo, no momento em que se dirigia para o trabalho na CPPL. Ele fazia a guarda na muralha da unidade, e era de lá, que os produtos eram entregues aos presos em troca de dinheiro. O material apreendido foi avaliado em R$ 10 mil.

A operação, iniciada há seis meses pelo Ministério Público e Polícia Civil, contou com o apoio da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e também da Polícia Militar. De acordo com o promotor Domingos Sávio Amorim, o combate ao tráfico de drogas dentro das prisões do Estado foi o que motivou o início das investigações. Amorim revelou que o acompanhamento começou a ser feito para identificar como a droga chegava aos detentos e o nome do soldado surgiu.

Na manhã de ontem, o PM, lotado na Companhia de Policiamento de Guarda (CPG), desde o seu ingresso na corporação, há 16 anos, foi abordado por policiais do Comando Tático Motorizado (Cotam) nas imediações da Avenida Perimetral. Ele estava sendo acompanhado de perto por agentes da Coin desde a saída da sua casa, na Serrinha. Os policiais, inclusive, gravaram em vídeo, várias ações do militar.

No porta-malas do veículo de propriedade do soldado, os policiais encontraram comprimidos psicotrópicos, maconha, crack, cocaína, celulares, baterias, chips e até ferramentas. Todo o material seria entregue a detentos da CPPL de Itaitinga. Em cada embalagem o nome do respectivo preso que deveria receber a encomenda.

Serviço

A delegada Alexandra Medeiros, que está a frente das investigações, contou que o militar entraria de serviço na manhã de hoje. Ele levava a droga e os celulares que seriam entregues no período da noite. Segundo a delegada, o militar ficava de guarda em uma das guaritas da muralha da CPPL. Usando um cordão, ele fazia com o material chegasse aos pavilhões. Por sua vez os presos, faziam uso do mesmo artifício para puxar as drogas, celulares e baterias. Até material para o conserto dos aparelhos celulares foi encontrado com o policial.

O delegado Jairo Façanha Pequeno, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), afirmou que o PM estava alimentando uma cadeia criminosa dentro da prisão. ?As drogas eram usadas para o tráfico dentro do presídio. Já os celulares serviam para que eles cometessem os mais variados tipos de crimes, como seqüestros virtuais e clássicos, extorsão, entre outros golpes?.

A investigação da Polícia descobriu também que o soldado avisava aos detentos em que pavilhões seriam realizadas vistorias pela direção da unidade. Dessa forma, explica a delegada Alexandra, os presos faziam a transferência do material para outros pavilhões nos dias e horários em que ocorreriam as vistorias e nada era encontrado. Algumas inspeções feitas sem aviso conseguiam driblar a vigilância do soldado, não podiam ser avisadas pelo soldado.

O PM trabalhava na CPPL de Itaitinga desde a sua inauguração, em 2006. Ele disse à Polícia, que há apenas três meses estava fazendo o serviço para os detentos. Deusimar foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, com o agravante do crime ter sido cometido quando ele exercia a sua função.

A delegada Alexandra Medeiros informou que a operação vai continuar e, segundo ela, novas prisões podem ocorrer a qualquer momento. ´Não vamos parar. Outros nomes podem surgir ainda´, adiantou a delegada.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br