PMs que teriam ficado com mochila de assalto ficarão cara a cara

PMs que teriam ficado com mochila de assalto ficarão cara a cara

Delegado pretende encontrar contradições no depoimento dos policiais

A Polícia Civil deve fazer uma acareação entre os dois policias militares que confessaram ter pego a mochila que havia sumido no assalto a um restaurante na Tijuca no em agosto.Conforme informou o Bom Dia Rio, outros dois PMs que participaram do caso também serão ouvidos. Na terça-feira (4), o Comando da Polícia Militar divulgou os nomes dos policiais que confessaram ter pego a mochila.

Os dois policiais confessaram na Corregedoria da Polícia Militar que pegaram a mochila que estava com um dos assaltantes morto. Mas alegaram que só havia papeis dentro dela. O subtenente Ronaldo Cesar Neves e o terceiro sargento Fábio Silva Lopes, do batalhão de São Cristóvão, respondem a um conselho de disciplina da PM e poderão ser expulsos em 15 dias.

A PM já identificou algumas contradições nos depoimentos. ?As imagens do cinegrafista amador foram confrontadas com as imagens do circuito interno do restaurante e se verificou que o dinheiro que foi roubado foi colocado no interior da mochila. Mas eles afirmam que havia apenas papeis, sem valor, na mochila?, afirmou o relações pública da PM, coronel Frederico Caldas.

A Polícia Civil também está investigando o paradeiro do dinheiro. O sargento Fábio Lopes já prestou depoimento na delegacia e voltou a admitir que pegou a mochila que estava com o bandido morto, mas disse que não havia dinheiro nela.

Na quinta-feira (6), o subtenente Ronaldo e o sargento Fábio estarão frente a frente na 18ªDP (Praça da Bandeira). Para o delegado responsável pelas investigações, é a hora de encontrar contradições no depoimento de cada um. ?Estamos com essa hipótese muito forte, da participação dos policiais na subtração, mas temos que pensar também na possibilidade desse dinheiro estar em outro lugar e a Polícia Civil é responsável por localizá-lo?, afirmou o delegado Orlando Zaccone.

Papel na mochila

Em depoimento na Delegacia Judiciária, os PMs alegaram que o dinheiro roubado do restaurante não estava na mochila. Eles afirmaram que só havia papel na bolsa. A mochila onde estaria o dinheiro roubado desapareceu.

No dia 29 de agosto o Comando Geral da Polícia Militar determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para esclarecer o desaparecimento da sacola onde supostamente estaria o dinheiro.

Relembre o caso

Uma mulher bem vestida conhecida como Ivone Fernandes Mendonça entrou no restaurante com mais cinco criminosos e anunciou o assalto. A polícia foi acionada e houve troca de tiros com os assaltantes. A mulher e dois assaltantes morreram, os outros três conseguiram fugir. A PM apreendeu quatro armas e uma bolsa.

No dia 15, a Polícia Civil apresentou dois suspeitos de participação no assalto ? Gilberto Nascimento Silva e Eduardo Lima Franco. Ambos foram presos durante o enterro de Ivone, que seria namorada do primeiro. O casal também é suspeito de ter participado de um assalto a uma agência do Jockey Clube, no Centro do Rio, em julho do ano passado.

Fonte: G1