PMs são suspeitos de assassinato em Fortaleza

A Polícia já teria, inclusive, os nomes dos policiais, mas prefere não divulgar

Dois policiais militares s?o os principais suspeitos de terem assassinado, na tarde de ontem, na localidade de Papara, em Maranguape (Regi?o Metropolitana de Fortaleza), Francisco Ira?lson Anselmo de Oliveira, 24.

A Pol?cia j? teria, inclusive, os nomes dos policiais, mas prefere n?o divulgar, para n?o atrapalhar as investiga?es. As suspeitas s?o refor?adas pela arma usada no crime. A v?tima foi executada com disparos de pistola calibre ponto 40, de uso exclusivo das for?as policiais.

A v?tima, que j? respondia a um processo pelo crime de tortura, foi assassinada na frente da mulher e do filho, de apenas dois anos de idade, dentro do banheiro de sua casa, na Rua Mateus Fernandes de Oliveira.

O homic?dio, supostamente motivado por uma vingan?a ou acerto de contas, ocorreu por volta das 12h30. Os criminosos efetuaram sete disparos contra a v?tima e na fuga atiraram nos pneus do carro de propriedade de Ira?lson.

Ainda abalados com o crime, familiares da v?tima n?o souberam informar por qual motivo ele havia sido morto. De acordo com um parente dele, que pediu para n?o ser identificado, os dois homens estavam em um ve?culo P?lio, de cor prata. ?Eles chegaram aqui perguntando onde o Ira?lson morava?, disse.

Segundo ainda os parentes da v?tima, os acusados teriam ligado para Ira?lson antes do crime, com o pretexto de que levariam documentos para ele assinar. Ningu?m, no entanto, soube informar que pap?is seriam esses.

O pai de Ira?lson, o aposentado C?cero Sousa de Oliveira, 67, afirmou n?o saber por que o filho foi morto. ?Estava em casa, aqui em frente, quando a mulher dele chegou gritando que tinham matado o meu filho?. Desesperados, os parentes ainda tentaram socorrer Ira?lson. Familiares e amigos o carregaram at? a varanda da casa, mas o deixaram ali, quando constataram sua morte. Em seguida, dezenas de pessoas se aglomeraram na porta da casa. O isolamento da ?rea foi providenciado pela pr?pria fam?lia. Somente familiares e policiais podiam se aproximar do local do assassinato.

O delegado Aroldo Mendes, titular da Delegacia Metropolitana de Maranguape, esteve no local, fazendo as primeiras investiga?es sobre o homic?dio. Outro caso

Na noite de anteontem, Cleiton Oliveira Moreira, 18, foi morto, a bala, na Rua Caio Fac?, no Guajiru, em Messejana. Os suspeitos do crime foram identificados como ?Nen?m? e ?Nandinho?. Segundo a Pol?cia, ?Nen?m? ficou no local ap?s o crime e s? fugiu com a chegada da Pol?cia.

Fonte: Diário do Nordeste