Polícia acredita que morte de universitária degolada foi crime passional ou vingança

Polícia acredita que morte de universitária degolada foi crime passional ou vingança

A jovem que cursava Administração na Uniesp (União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo), foi vista pela última vez na faculdade

As investigações da morte de Lore de Santana Vaz, 26, encontrada quinta-feira degolada num carro em Santo André (Grande São Paulo) apontam para crime passional ou de vingança, segundo a polícia.

A jovem que cursava Administração na Uniesp (União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo), foi vista pela última vez na faculdade.

Câmeras de segurança de uma empresa registraram seu carro, um Fiat Uno cinza, sendo estacionado na Rua Andradina, Vila Príncipe de Gales, às 22h14 de terça-feira.

Dele, saíram dois homens que fugiram em um Kadett que os seguia. Segundo o delegado Paulo Dionísio, do setor de homicídios da cidade, a hipótese de roubo não está descartada, mas é pouco provável. "A violência do crime não é típica de latrocínio."

"Eles estavam em três, poderiam ter levado o que quisessem, inclusive o carro. É mais provável que seja vingança ou um crime passional", explica.

O namorado de Lore, Vinicius Teixera, concorda com a polícia. "Não acredito que foi roubo. Acho que foi coisa mandada porque ela não tinha inimigos. A única coisa nova é que começou a trabalhar com políticos".

Lore trabalhava na campanha da candidata a vereadora pelo PSDB de São Caetano do Sul, Nice do Restaurante.

Procurada pela reportagem da Folha, Nice diz também acreditar que a morte da estudante foi planejada.

"Não consigo pensar em nenhum inimigo político que faria uma coisa dessas com a Lore. Isso foi encomendado, ela era uma pessoa que queria viver, estudar e dar uma vida boa para o filho".

Lore foi encontrada pela polícia às 7h de quinta, caída no vão entre os bancos do carro. Foram levados seu celular e o aparelho de som do carro.

Fonte: Folha