PM busca empresário que simulou roubo para poder matar amante

PM busca empresário que simulou roubo para poder matar amante

Denúncia foi feita por homem que diz ter sido contratado para cometer crime.

A polícia faz buscas por um empresário de 29 anos suspeito de simular um roubo e matar a amante, uma jovem de 19 anos, em Iporá, a 234 Km de Goiânia. Ele foi identificado como suspeito do crime depois que a Polícia Civil prendeu, na quarta-feira (26), um auxiliar de serviços gerais, de 30 anos, que afirma ter sido contratado pelo empresário para cometer o crime.

A jovem foi morta na madrugada de segunda-feira (24), na casa onde morava, no Setor Jardim Arco Íris, em Iporá. No dia, o empresário declarou à polícia que a residência tinha sido invadida por homens encapuzados que fizeram o casal refém por cerca de uma hora. O homem relatou ainda que os supostos assaltantes tamparam o nariz da jovem e ela foi morta asfixiada. No entanto, ele fugiu.

A defesa do empresário nega o envolvimento dele no crime.

Porém, após investigações, a polícia desconfiou da versão do amante. Segundo a Polícia Civil, as cordas que prendiam o empresário estavam frouxas e não pareciam ter sido amarradas com a força necessária para imobilizá-lo. Além disso, a casa não apresentava sinais de arrombamento.

O exame de corpo de delito do empresário constatou que ele tinha ferimentos no braço que indicavam luta corporal, porém, os cortes na pele teriam sido provocados intencionalmente para reforçar a condição dele como vítima.

Ainda de acordo com a investigação da Polícia Civil, o empresário teve a ajuda do auxiliar de serviços gerais para sufocar e matar a jovem e, em seguida, se amarrar a uma cama. Câmeras de segurança chegaram a registrar o momento em que o empresário, com pés e mãos amarrados, é auxiliado por policiais militares.

O auxiliar fugiu na caminhonete do homem, para sugerir que o veículo tinha sido roubado. ?A intenção desses autores foi, a todo o momento, ludibriar tanto a Polícia Militar quanto a Polícia Civil?, afirma o delegado Victor Pereira Avelino.

Em busca pela caminhonete, os policiais analisaram câmeras de segurança de um posto de combustíveis e identificaram que o auxiliar parou no local para abastecer o veículo. Com a identidade do homem, eles o encontraram e prenderam em sua residência, também em Iporá.

A partir do depoimento do suspeito, a polícia descobriu que o empresário morava com a vítima há três anos, mas é casado e tem família em Mato Grosso. Para o delegado que investiga o caso, Ramon Queiroz Rodrigues da Silva, a intenção do suspeito era esconder a traição.

?O próximo passo seria colher as digitais dele para confrontar com as digitais encontradas nas cordas na residência e, a partir desse momento, ele viu que a versão dele teria sido derrubada, a Polícia Civil já teria chegado até seu comparsa que teria ajudado nesse crime?, afirma o delegado Ramon Queiroz Rodrigues da Silva.

A polícia ainda faz buscas pela caminhonete e pelo empresário.

Fonte: G1