Polícia Civil prende ex-secretário por estupro de menina de 11 anos no MT

A prisão do ex-secretário ocorreu por meio de mandado de prisão preventiva representado pelo delegado Rogério

O ex-secretário de planejamento da prefeitura de Novo Santo Antônio (MT) Antônio Ferreira Brito, 37 anos, conhecido por ?Antônio Cartucheira?, foi preso na quinta-feira acusado de estuprar uma menina de 11 anos. O crime foi denunciado em dezembro de 2013, pelo pai da menina.

A prisão do ex-secretário ocorreu por meio de mandado de prisão preventiva representado pelo delegado Rogério da Silva Ferreira, e deferido pelo juiz Pedro Flory Diniz Nogueira, da comarca de São Félix do Araguaia. O secretário recebeu voz de prisão em sua residência em Novo Santo Antônio.

Segundo o delegado, em dezembro o ex-secretário teve a prisão decretada, ficou um mês foragido, e depois conseguiu reverter o mandado. No entanto, um novo pedido de prisão foi encaminhado à Justiça, depois que a polícia reuniu novas evidências do crime comentido pelo secretário.

Nas investigações realizadas pela Polícia Judiciária Civil, um laudo de exame de corpo de delito concluiu que a vítima passou por conjunção carnal e atos libidinosos, conforme tinha alegado em suas declarações. Além do laudo técnico, depoimentos colhidos pela Polícia Civil demonstram que a menina já havia reclamado para uma colega de escola que Antônio Ferreira Brito costuma esperar seu pai, que é vizinho dele, sair de casa para ir até sua residência, onde ele ?puxava sua blusa e apalpava seus os seios, isso desde os quando tinha 8 anos de idade?, destaca a menina em declarações.

Em outras declarações colhidas pelo delegado, testemunhas indicam que o suspeito tinha o hábito de observar as vizinhas escondido, enquanto elas trocavam de roupa ou tomavam banho.

Com a prisão do ex-secretário, a Polícia Judiciária Civil espera que eventuais vítimas, ainda não identificadas, que possam ter sofrido abusos sexuais cometidos por ele e que não denunciaram na época dos fatos, procurem a delegacia para denunciar crimes.

Para o delegado, a prisão é um passo importante na prevenção da prática de novos crimes pelo suspeito e no sentido de encorajar eventuais vítimas a denunciar outros casos. ?Isso demonstra que a Polícia e a Justiça estão atentas e que nos crimes contra dignidade sexual a palavra da vítima vale muito, independentemente do crime ter ocorrido há dias, meses ou anos, e de haver ou não testemunhas dos fatos?, afirma o delegado Rogério.

Conforme o delegado, a população de Novo Santo Antônio comemorou a prisão do suspeito e o sentimento de justiça, com fogos em reconhecimento ao bom trabalho desempenhado pelas policias Civil e Militar do município.

Fonte: Terra