Polícia conclui que namorada foi a mandante na morte de empresário

A mulher chegou a chorar muito perto do caixão.

O empresário identificado como Felipe Lavina Machado, de 27 anos, foi morto no mês de outubro do ano passado na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Na época, o crime foi investigado como sequestro, já que sua namorada Elen Cristina Curi Ferreira, de 23 anos, disse estar com ele quando os criminosos invadiram a residência, amarraram os dois e mataram o rapaz.

Só que após investigações, a polícia concluiu que Elen fio a responsável por planejar a morte do jovem. A conclusão do crime se deu no inquérito da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense. De acordo com a polícia, depoimentos de familiares e do acusado de executar o crime, Marlon Paranhos da Silva foram fundamentais para desvendar a autoria.

“Algumas pessoas disseram que viram Elen na casa do Marlon algumas vezes, sendo que dois dias antes do crime eles estavam juntos. Tinham uma relação de amizade”, declarou o delegado afirmando que o acusado foi morto no dia 29 de outubro por dívidas de tráfico.

“Essa dívida foi um dos motivos que ele levou para roubar e matar o Felipe. O dinheiro roubado ia ser dividido com ela e mais quatro pessoas”, disse.

Elen foi presa na última quinta-feira em um apartamento em Copacabana, zona Sul do Rio de Janeiro.

Elen foi presa em um apartamento (Crédito: Reprodução)
Elen foi presa em um apartamento (Crédito: Reprodução)
No dia do velório, Elen chorou perto do caixão (Crédito: Reprodução)
No dia do velório, Elen chorou perto do caixão (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do Jornal Extra