Polícia de Alagoas suspeita de ligação criminosa entre Lindemberg e pai da Eloá

Lindenberg e ele faziam parte de uma grupo criminoso em Santo André

A Pol?cia de Alagoas suspeita que Lindemberg Alves Fernandes, o assassino na trag?dia de Santo Andr?, e o pai da adolescente Elo?, Everaldo Pereira dos Santos, sejam comparsas.

Para o delegado Marc?lio Barenco, diretor geral de Pol?cia Civil de Alagoas, ele agia, em Santo Andr?, junto com Lindemberg. "H? suspeitas concretas que o Lindenberg e ele faziam parte de uma grupo criminoso em Santo Andr?. Ent?o, Lindemberg n?o era s? namorado da filha", afirma.

O delegado faz ainda outras considera?es. "Tanto que Elo? j? tinha sido espancada anteriormente e, pela personalidade dele, ele n?o aceitaria isso com a filha se n?o tivesse uma estreita rela??o com esse rapaz", disse Barenco.

A pol?cia paulista n?o informou se tem, at? o momento, suspeitas da liga??o entre o seq?estrador e o foragido. Nesta sexta-feira (24), o delegado da Pol?cia Civil de S?o Paulo concluiu o inqu?rito sobre o seq?estro. Ao chegar ao f?rum, o delegado disse: "acabou". Em 185 p?ginas, h? o depoimento de 26 pessoas e o registro de que uma se recusou a falar: Lindemberg Alves - o principal indiciado.

Lindemberg vai reponder por v?rio crimes: homic?dio (pela morte da ex-namorada, Elo? Pimentel), duas tentativas de hom?cidio (por ter atirado contra Nayara da Silva e contra um policial militar) e ainda c?rcere privado (por ter mantido pessoas presas em um apartamento).

Santos tamb?m foi indiciado por falsidade ideol?gica, uso de documento falso e porte ilegal de arma. Ele adotou um nome falso e guardava uma espingarda em casa. Ao passar mal, em Santo Andr?, durante o seq?estro, foi descoberto pela pol?cia de Alagoas, e fugiu. L?, everaldo ? acusado de fazer parte de um grupo de exterm?nio.

O Minist?rio P?blico tem at? o dia tr?s de novembro para entregar a den?ncia ? Justi?a. Mas o promotor Ant?nio Nobre Folgado j? adiantou: vai pedir a condena??o de Lindenberg Fernandes a uma pena m?nima de 25 anos de pris?o. Ele acrescentou: espera que o julgamento ocorra em at? um ano.

"Ele tinha vontade de matar, exerceu uma conduta criminosa, direcionando o rev?lver para a face das v?timas, puxando o gatilho e matando uma v?tima e ferindo outra gravemente. Espero transmitir a minha convic??o aos jurados e certamente, se Deus quiser, ele ser? condenado", disse o promotor.

Fonte: g1, www.g1.com.br