Polícia descarta crime na morte da atriz Brittany Murphy

Os resultados dos exames toxicológicos deverão sair no prazo de seis a oito semanas

A polícia descarta a hipótese de crime na morte da atriz americana Brittany Murphy, que morreu no domingo (20), aos 32 anos.

Contra a vontade do marido de Murphy, o roteirista britânico Simon Monjack, as autoridades realizaram a autópsia do corpo da atriz e os exames preliminares confirmaram que ela morreu de parada cardíaca.

Os resultados dos exames toxicológicos deverão sair no prazo de seis a oito semanas.

Segundo a revista "People", Murphy lutava há anos contra "demônios internos" relacionados a sua imagem física, que a levaram a ter problemas durante as gravações de alguns filmes.

Na segunda-feira, a revista "US Magazine" publicou uma foto da atriz muito magra, em um evento no dia 3 de dezembro.

No domingo, a mãe de Murphy encontrou a atriz inconsciente no chuveiro de sua casa em Los Angeles, e Monjack chamou a emergência, segundo o site TMZ.

A atriz foi levada ao hospital Cedars-Sinai de Los Angeles, onde os médicos declararam sua morte às 10h04 (16h04 no horário de Brasília).

A morte de Murphy acontece depois de um episódio envolvendo a saúde de Monjack, em novembro passado, quando uma ambulância foi chamada ao aeroporto de Los Angeles durante a chegada do casal, vindo de Porto Rico.

Murphy ficou conhecida fazendo séries televisivas, como "Blossom", seu primeiro papel, "Sister, Sister", "O Quinteto/Party of Five" e "Frasier", entre outras, durante os anos 90, antes de conseguir seu personagem no filme "As Patricinhas de Beverly Hills".

Depois trabalhou em filmes como "Garota, Interrompida", "Grande Menina, Pequena Mulher", "Sin City - A Cidade do Pecado" e "8 Mile - Rua das Ilusões".

Apesar de ficar marcada por papeis de adolescentes problemáticas, ela procurou diversificar sua carreira com personagens mais leves.

Ela fazia a voz da personagem Luanne Platter da série animada "O Rei do Pedaço/King Of The Hill".

Além de atuar, Murphy gostava de compor e colaborou com o DJ britânico Paul Oakenfold escrevendo "Faster Kill Pussycat", um sucesso dance. Também participou na animação "Happy Feet - O Pinguim".

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br