Polícia diz que menor foi levada desacordada para local do estupro

A polícia acredita que a jovem foi levada desacordada para o local

A jovem de 16 anos vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro foi levada desacordada para o local do crime, afirmou delegada responsável pelas investigações, Cristiana Onorato Bento, nesta sexta-feira (3). A garota relatou ter acordado em uma casa no Morro da Barão classificada como "abatedouro", cercada por homens.

Segundo a delegada, a jovem relatou que foi com um casal de amigos e um outro homem para uma casa depois de um baile funk, mas acordou em outro lugar, onde um sujeito a segurava e outros se postavam a seu redor.

"Os dois locais ficam próximos. O que estamos investigando é como ela foi carregada de um local para o outro e levada por quem", disse a delegada.

Jovem de 16 anos (com o rosto coberto) deixa delegacia após prestar depoimento sobre caso
Jovem de 16 anos (com o rosto coberto) deixa delegacia após prestar depoimento sobre caso

Na véspera, a delegada pediu a libertação de Lucas Perdomo, um dos suspeitos de participação no crime, preso desde segunda-feira (30) com outro acusado, Raí de Souza. De acordo com a delegada, a segunda jovem, que teve relações sexuais com Lucas, afirmou que os dois saíram juntos do primeiro local e, por isso, não estavam na cena do crime. Já Rai, que defendeu ter feito sexo consentido com a jovem, continua preso. É dele o celular em que foi gravado vídeo no qual a jovem aparece nua e sendo tocada por um dos suspeitos.

Na quinta-feira (2), a delegada pediu a prisão de mais duas pessoas acusadas de envolvimento no crime, Moisés de Lucena e um homem de apelido Jefinho. Eles seriam ligados ao tráfico de drogas da região.

Segundo a investigação, Moisés seria o homem que segurava a jovem quando ela despertou e Jefinho, o que teria feito a gravação com o celular de Rai. A polícia ainda não sabe o nome completo do segundo, apenas as características físicas relatadas por testemunhas.

Fonte: ig