Polícia encerra inquérito sobre denúncia de estupro na Ufes

Jovem vai ser indiciado por roubo, porte ilegal de arma de fogo e estupro.

O técnico em montagem, 18 anos, suspeito de estuprar uma estudante, 19, durante uma festa rave no Campus da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Goiabeiras, Vitória, vai ser indiciado por roubo, porte ilegal de arma de fogo e estupro, segundo a Polícia Civil.

O inquérito será encaminhado nesta sexta-feira (14) para a Justiça pela delegada Arminda Rosa Rodrigues. A mãe do rapaz acredita que a estudante tenha consentido. ?Peço a Deus para iluminar a essa moça para que ela conte a verdade, ela não foi obrigada a nada?, desabafa.

A mãe do suspeito, uma diarista de 54 anos, contou que ainda não pode visitar o filho na penitenciária, mas duvida que o garoto tenha praticado o crime. ""Os amigos dele disseram que ele não forçou ninguém e que estavam todos embriagados"", alegou.

A diarista afirmou que o filho trabalha como montagem e que faz supletivo na expectativa de melhor de vida. ?"Ele acorda às 5h para trabalhar e entrega na minha mão todo o salário dele. Recentemente, meu filho disse que está vendo que estou cansada, por isso quer me ajudar a trabalhar para termos uma casa própria?, recordou a mãe que diz estar sem se alimentar direito desde a notícia da prisão do rapaz.

Sobre a arma, a mãe acredita que o revólver encontrado com ele pertencia a um dos amigos. ""Criei meus filhos sozinha batalhando. Os outros dois estão casados e nunca me deram dor de cabeça. Já o meu caçula é o meu companheiro do dia a dia, e agora está na cadeia por algo que pode nem ser verdade"", observou.

Para a titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) , Arminda Rosa Rodrigues, não há mais o que ser questionado pela Polícia Civil. ""São testemunhas e elementos que configuram o crime de estupro. Além disso, a arma foi encontrada com ele. Agora, estamos anexando os laudos dos exames da vítima e enviando para a a Justiça"", pontuou.

Fonte: G1