Polícia encontra itens de obras com 1000% de superfaturamento; entenda

Ação tem como objetivo combater crimes contra a administração pública e processos licitatórios

Na investigação que resultou na Operação Kilowatt, realizada na manhã desta quinta-feira, a Polícia Civil gaúcha encontrou itens com 1000% de superfaturamento em obras da Secretaria Estadual de Obras. Em entrevista coletiva, os delegados da Delegacia Fazendária Daniel Mendelski e Joeberth Nunes afirmaram que as investigações duraram um ano mas avaliaram fatos desde 2008.

Ao todo, seriam seis obras cujos contratos com o governo estadual somam R$ 12 millhões, entre elas duas escolas e obras na Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde. Segundo Mendelski, em um dos casos, a reforma de um telhado de escola foi paga sem ter sido realizada. Após utilizarem o helicóptero da polícia, ficou comprovado que apenas foram trocados os beirais do telhado, deixando, assim, todas as telhas velhas no restante do local.


Imagens mostram trote de vestibular com brincadeiras agressivas no PR

Outro caso aponta para a obra de uma subestação de energia em que os disjuntores, que custam R$ 1 mil, foram superfaturados no valor de R$ 10 mil cada um. Entre os crimes levantados pela investigação, estão: corrupção ativa, passiva, peculato, formação de quadrilha, falsidade ideológica, fraude à licitação e superfaturamento de valores.

Foram cumpridos oito mandados de prisão e 34 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências nas cidades de Porto Alegre, Ivoti, Nova Petrópolis, Canela, além de Limeira e Campinas, em São Paulo. Entre os presos há quatro servidores e quatro empresários, e outros suspeitos investigados estão sujeitos à apreensão de veículos e bloqueio de bens. Na casa de um dos empresários foi encontrada a quantia de R$ 50 mil em espécie.

Ao todo, cerca de 150 policiais civis participam da operação, que é realizada pela Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigação Criminal.

Fonte: Clicrbs