Polícia fecha escola que dava diploma falso

Gravação mostra atendente dizendo que unidade não tinha professor

A Delegacia do Consumidor de Campo Grande fechou uma escola de ensino à distância nesta segunda-feira (31). De acordo com a polícia, a unidade oferecia diplomas falsos.

Com uma câmera escondida, a equipe de reportagem descobriu que o curso só tinha uma apostila. Na gravação, é possível ver a atendente confirmando que não havia nem professor, nem aula. O diploma custava R$ 580.

Um curso de ensino médio à distância para jovens e adultos tem de cumprir pelo menos 1.200 horas-aula. Mas, nessa unidade, o diploma podia sair em menos de dois meses. Só neste ano, 200 pessoas receberam o documento. A atendente informava que o certificado era reconhecido pelo Ministério da Educação, em todo o país, mas os alunos relatam problemas.

Em busca de um curso rápido, uma estudante conta que procurou a escola e, em duas semanas, concluiu todas as provas, de oito matérias. "Depois de um mês, chegou meu certificado e fui procurar outra escola para fazer um curso técnico. Me falaram que ele não tinha validade nenhuma", lembrou.

Para Maria Luíza Robaldo, presidente do Conselho Estadual de Educação, "isso não é curso". "Eles estão enganando nossos alunos", afirmou.

A escola não tinha autorização do conselho para funcionar. Os responsáveis podem responder por estelionato. A polícia procura pelo dono do estabelecimento. Duas funcionárias foram presas.

A mesma escola atua em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná, Bahia e Pernambuco.

Fonte: g1, www.g1.com.br