Polícia Federal desmonta quadrilha e prende chefão do tráfico de cocaína em Fortaleza

A rede de tráfico vinha sendo investigada há dois anos pela PF

Uma intensa movimentação de pessoas e veículos denunciava, ontem pela manhã, mais uma grande operação da Polícia Federal em Fortaleza. Desde a madrugada de ontem, 200 policiais federais do Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Paraíba e Amazonas foram mobilizados no cumprimento de 31 mandados de prisão - 20 em Fortaleza e 11 em Manaus - e 37 mandados de busca e apreensão na operação ´Fast Food´, que visava desarticular as atividades de uma rede do narcotráfico internacional.

Os dois alvos mais importantes eram dois traficantes. Um deles que a PF identificou apenas por ´Bauru´ - apontado como o chefe do tráfico de drogas na Capital e que agia a partir da Grande Messejana - e outro como ´Cabeça´, que servia de elo de ligação numa rota de tráfico internacional que passava pela Região Norte do Brasil e terminava no Ceará.

´Bauru´ , cujo nome verdadeiro é Francisco Adriano dos Santos Lima, 27, foi preso, ainda cedo, em um sítio no Município de Aquiraz. ´Cabeça´, que estava morando atualmente em um apartamento na Praia de Iracema, não tinha sido localizado pela PF até o fim da noite passada.

A rede de tráfico vinha sendo investigada há dois anos pela PF. A articulação era feita por duas organizações criminosas que se uniram com a mesma finalidade: fazer a cocaína oriunda da Bolívia e da Colômbia chegar à capital cearense.

Duas rotas principais foram descobertas. Uma partia da Bolívia, passava por Porto Velho, Manaus, Belém e chegava a Fortaleza. A outra, partia da Colômbia e tinha Tabatinga como porta de entrada da droga no País. De lá, a cocaína seguia para Manaus, Belém e terminava na capital cearense.

?De Belém para Fortaleza a droga normalmente vinha camuflada em veículos particulares e ônibus?, ressaltou o superintendente da PF no Ceará, Aldair Rocha. Segundo ele, uma terceira rota, menos utilizada, também foi descoberta no fim das investigações. ?A droga partia do Suriname, passava por Manaus e vinha para Fortaleza?, acrescentou.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br