Polícia Federal diz que Playboy não foi executado em operação no RJ

Polícia disse que traficante tinha uma pistola e reagiu à prisão.

Image title


A operação conjunta das polícias Federal, Civil e Militar no último sábado (8), que resultou na morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, foi “legítima”, segundo o delegado da Polícia Federal Carlos Eduardo Antunes Thomé.

Ele participou das investigações e também da operação e afirma que o traficante não foi executado, como alegou a família no enterro, realizado neste domingo.

“A ação foi totalmente legítima. Houve um cerco à casa onde ele estava, ele tentou fugir do local e tentou disparar contra uma equipe da Core, que o atingiu”, disse o delegado, que classificou a operação como "cirúrgica".

“Foi feita a operação para capturar o Playboy e foi um sucesso. E vamos continuar essa integração entre as polícias”, afirmou Thomé.Desde domingo, 400 homens do Comando de Operações Especiais da PM reforçam o patrulhamento no Morro da Pedreira, região onde atuava Playboy.Seis mil alunos da região de Costa Barros, no subúrbio do Rio, ficaram sem aulas nesta segunda-feira (10), dois dias após a morte do traficante.

A decisão das secretarias de Educação de suspender as aulas foi para que alunos e professores não fiquem expostos a possíveis confrontos.Uma escola na rede estadual, nove escolas municipais, três creches e cinco espaços de desenvolvimento infantil não abriram. O comércio, que ficou fechado durante todo o domingo, funciona normalmente.Playboy foi morto no sábado durante uma operação das polícias Federal, Civil e Militar. Ele foi atingido por dois tiros de fuzil. A família disse que ele foi executado.

A polícia informou que o traficante tinha uma pistola e reagiu à prisão. Ele ainda foi levado para o Hospital Federal de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos.O traficante foi enterrado no domingo, no Cemitério do Catumbi, no Centro, onde parentes e amigos acompanharam o cortejo.

Playboy também chefiava a principal quadrilha de roubo de cargas e veículos no estado.Em abril, a quadrilha dele foi flagrada roubando um caminhão de eletrônicos – carga avaliada em R$ 600 mil. No ano passado, o bando roubou de um galpão 193 motos apreendidas. As motos foram devolvidas dias depois por ordem do traficante.Celso Pinheiro Pimenta ganhou o apelido de Playboy porque foi criado em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, numa família de classe média. Ele tinha 33 anos e era remanescente da quadrilha de outro criminoso criado na classe média, Pedro Machado Lomba Neto, o Pedro Dom.

Fonte: G1