Polícia Federal prende 11 por desvio de R$ 300 milhões

Nos últimos cinco anos, grupo teria fraudado verba federal destinada à saúde e educação

Onze pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (11) pela Polícia Federal na operação Parceria. Os agentes da PF devem cumprir 14 mandados de prisão nos Estados de São Paulo, Goiás, Maranhão e Paraná. O grupo seria responsável pelo desvio de cerca de R$ 300 milhões de recursos federais destinados às áreas da saúde e educação no Paraná nos últimos cinco anos. A PF estima que o grupo tenha faturado R$ 1 bilhão nos últimos cinco anos.

Três acusados ainda são procurados pela PF e quatro dos presos foram detidos em Curitiba. A PF não divulgou o nome dos presos e um balanço de quantos foram presos em cada Estado. A operação é feita em parceria com a Receita Federal e, além dos mandados de prisão, os 200 agentes que participam da operação cumprem 40 mandados de busca e apreensão.

A operação desmanchou um esquema montado para fraudar o repasse de recursos às prefeituras de uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) em Curitiba. A fraude desviava cerca de 30% dos recursos recebidos do governo federal, mascarados como ?despesas administrativas? após a aprovação dos projetos. Em média, eram desviados R$ 43 milhões dos R$ 130 milhões anuais destinado a contratação de empregados, compras de bens e serviços.

Depois de depositado na conta da organização o dinheiro saía para supostamente pagar empresas fornecedoras, entre outras coisas. No entanto, no curso da investigação descobriu-se que essas companhias pertenciam a parentes ou pessoas de confiança dos dirigentes da OSCIP.

A Receita Federal informou que os investigadores têm evidências da ocultação de bens e de lavagem de dinheiro, crimes contra a ordem tributária, aquisições suspeitas de títulos da dívida pública "podres" e de imóveis rurais supostamente inexistentes no Estado do Pará para servir, em tese, de garantia de dívidas públicas.

Fonte: g1, www.g1.com.br