Polícia francesa vê ligação entre tiroteio de ontem e irmãos terroristas

As autoridades francesas haviam afirmado até então não haver aparentemente ligação entre os dois casos

Os investigadores franceses estabeleceram uma conexão entre os dois jihadistas acusados da chacina na revista "Charlie Hebdo", que deixou 12 mortos na quarta-feira, e o assassino de uma policial no tiroteio registrado no sul do país na quinta-feira (8), segundo fontes policiais.

As autoridades francesas haviam afirmado até então não haver aparentemente ligação entre os dois casos, mas as investigações teriam confirmado a existência dessa conexão.

"Fatos recentes permitiram que a investigação avançasse para estabelecer uma conexão", indicou a fonte policial à AFP, sem proporcionar maiores detalhes.


"O suspeito foi identificado. Duas pessoas próximas foram detidas", segundo estas fontes. Este tiroteio, que também deixou um ferido em estado grave, ocorreu um dia após o atentado em Paris contra a revista satírica "Charlie Hebdo". O indivíduo abriu fogo contra uma policial municipal de 26 anos, que morreu pouco depois, e contra um agente municipal que ficou gravemente ferido.

Uma operação das forças de elite francesas está em curso nesta sexta-feira para tentar neutralizar os irmãos Kouachi, os dois jihadistas franceses suspeitos do massacre da revista "Charlie Hebdo", e que se encontram entrincheirados em uma gráfica no nordeste de Paris com um refém.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol