Polícia identifica mais 6 pessoas queimadas após bronzeamento

Polícia identifica mais 6 pessoas queimadas após bronzeamento

Segundo o delegado, número de clientes que se queimaram chega a dez.

Ao menos seis mulheres procuraram a Polícia Civil de Jataí, no sudoeste de Goiás, na segunda-feira (10), relatando que também foram vítimas de queimaduras após uma sessão de bronzeamento em um salão da cidade. O número total de mulheres que sofreram lesões após o tratamento estético chega a dez.

?Elas [as novas vítimas] buscaram a delegacia após a divulgação de que quatro mulheres tinham sido hospitalizadas com as queimaduras. Essas novas vítimas tiveram ferimentos mais localizados nas costas e nas pernas?, afirma o delegado regional André Fernandes de Almeida.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e deve intimar, nesta terça-feira (11), a dona do salão. ?Hoje vamos atrás da Vigilância Sanitária, conversar com os médicos e a equipe de enfermagem que atenderam as vítimas. Estamos focados neste caso?, afirma André Almeida.

Das mulheres queimads durante o bronzeamento, quatro foram hospitalizadas e duas tiveram alta no domingo (9). Outras duas vítimas continuam internadas em Goiânia.

Uma delas é a estudante de biologia Monalisa Lombardi, de 19 anos. Ela teve 73% do corpo queimado com lesões de 2º grau. A jovem permanece internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Pronto Socorro para Queimaduras. Segundo o hospital, ela tem estado grave, porém estável, e deve passar por cirurgia nesta manhã.

Em entrevista, a mãe contou que Monalisa Lombardi já tinha o costume de fazer as sessões e há dois anos frequentava o salão. Depois de passar pelo bronzeamento, no domingo (2), ela já começou a sentir os sintomas.

?No domingo mesmo, começou a sentir, mas semelhante ao que já sentia outras vezes. Na segunda-feira foi piorando e ela ligou para a mulher [dona do salão], que indicou um creme pra ela passar. Na terça-feira ela já nem conseguia se mexer mais, as bolhas foram vindo à tona?, relata a cobradora Mônica Lombardi.

Outra vítima que teve lesões graves é uma dona de casa de 33 anos. Ela está internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Residencial Itaipu, onde aguarda vaga no hospital especializado em queimaduras. Segundo a equipe médica da UPA, a paciente está consciente e tem estado regular.

Óleo

Uma das vítimas relatou que, durante o procedimento, foi aplicado um produto que ela desconhecia. ?Tem muito tempo que eu bronzeio com ela [com a dona do salão]. A gente foi, como de costume, e ela passou os produtos que costumava passar. Só que aí ela usou um produto novo, um óleo de coco com canela. Aí colocou em uma bombinha com água e toda hora borrifava na gente?, conta uma das vítimas, que não quis se identificar.

A dona do salão não informou qual produto foi usado, entretanto, afirma que usa o mesmo material há dois anos. Ela disse ainda que não sabe o que pode ter provocado as queimaduras.

A Vigilância Sanitária deu prazo até esta terça-feira para que a dona do estabelecimento apresente os produtos usados nas sessões de bronzeamento. Segundo a Vigilância, o local não tem licença para funcionar e, por isso, foi interditado.

"Ele funciona em uma residência, é clandestino. Do ponto de vista higiênico e sanitário, não pode funcionar em residência, tem que ter um local apropriado, adequado, que ofereça as condições ideais para essa atividade", afirma a coordenadora da Vigilância Sanitária de Jataí, Kelle Melo.


Polícia identifica mais seis vítimas de queimaduras após bronzeamento

Polícia identifica mais seis vítimas de queimaduras após bronzeamento

Polícia identifica mais seis vítimas de queimaduras após bronzeamento

Fonte: G1