Polícia identifica suspeitos de matar jovem de 15 anos por "cilada"

Os dois agressores disseram que mataram a jovem porque achavam que ela e a irmã estariam armando uma cilada.

A polícia apreendeu neste domingo (16) dois adolescentes suspeitos de agredirem até a morte uma jovem de 15 anos, em Brazlândia, região a 45 quilômetros de Brasília. A adolescente foi espancada, apedrejada e esfaqueada. Um terceiro agressor que teria participado do espancamento é procurado pela polícia. Os dois adolescentes apreendidos, um de 14 e outro de 15 anos, confessaram ter participado do assassinato da jovem na madrugada de sábado para domingo, informa a polícia. Um deles foi preso em casa, um imóvel que fica a 500 metros da praça onde o crime ocorreu.



Ao delegado Fernando Coccito, os dois agressores disseram que mataram a jovem porque achavam que ela e a irmã estariam armando uma cilada. ?Em dado momento, uma delas utilizou o telefone celular. Esses garotos desconfiaram que elas estariam fazendo contato com pessoas de uma gangue rival e resolveram, então, matá-las.?

De acordo com as investigações, a jovem morta, sua irmã e três supostos agressores eram conhecidos e estavam fumando maconha. A irmã da adolescente morta contou que eles também beberam vodca por quase três horas até as agressões começarem. A mais velha conseguiu escapar e correu para chamar socorro. De longe, viu a irmã sendo agredida.

Briga de gangues

Só este ano, 17 pessoas foram assassinadas em Brazlândia, supostamente por acerto de contas entre gangues rivais. A polícia já mapeou três grupos que travam uma guerra entre si. ?A situação está sob controle. Na nossa última operação, há dois meses, encerramos esse ciclo violento na cidade. Há dois meses não tínhamos infrações graves. Tivemos esse homicídio, mas o importante é que a resposta está aí?, diz o delegado Fernando Coccito.

Os dois adolescentes apreendidos vão responder por ato infracional análogo a homicídio doloso qualificado e podem ficar até três anos internados - o máximo permitido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Fonte: G1