Polícia indicia ex-mulher de Vagner Love por rave na Zona Oeste do Rio

O caso ocorreu em outubro do ano passado

Policiais da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) indiciaram Marta Maria Gentil de Moraes de Souza, conhecida como Marta Love, ex-mulher do jogador de futebol Vagner Love, por permitir a realização de uma rave em casa, no bairro de Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com os agentes, a festa era divulgada em páginas da internet com venda de ingressos e os promotores do evento eram adolescentes, entre eles, o filho de Marta e enteado de Vagner Love.

O caso ocorreu em outubro do ano passado. A festa era organizada pelo enteado do jogador e três amigos na casa de Vagner Love, segundo a Polícia Civil.

Vagner Love não estava no local. Na ocasião, ele estava na Rússia, onde jogava no CSKA Moscou, e emitiu um comunicado oficial sobre a realização da festa. O jogador, atualmente no Flamengo, se mostrou surpreso com o fato e afirmou que não tem nenhuma participação no evento que acabou em confusão com a polícia.

De acordo com Adriana, que está à frente da 42ª DP (Recreio), cerca de 800 menores participavam da festa, que tinha serviço de bebidas alcoólicas. Três pessoas foram presas. Duas por vender bebida alcoólica para menores e uma por desacato. As três já foram liberadas da delegacia.

Crianças participavam do evento

"Vi criança de oito anos na festa", afirmou ela. Adriana afirmou que o filho do jogador se recusou a ir até a delegacia. "Ele tinha saído para buscar alguma coisa fora de casa e quando voltou viu os carros da polícia. Um amigo dele ligou e ele disse que não iria até a delegacia. Agora falta ouvir ele e um outro organizador da festa", disse a delegada na ocasião.

A delegada informou que havia policiais infiltradas na festa antes de as equipes chegarem para fazer o flagrante. Denúncias de consumo de bebidas alcóolicas, além da ausência de requisitos necessários à realização da festa e perturbação da ordem, pelo condomínio ser residencial e estar ao lado de uma casa de repouso de idosos, levaram os agentes ao local.

Todos os menores de idade que estavam no local só foram liberados com a presença dos responsáveis. "Eles estava em situação de risco. Bebidas alcoólicas estavam sendo servidas de forma indiscriminada, então só liberei os adolescentes mediante responsável." Cerca de 400 jovens foram liberados ainda no local da festa e os outros encaminhados para a delegacia para aguardar os pais. Foi utilizado um ônibus para o transporte.Segundo a polícia, a festa foi difundida na internet e também através de panfletos. O evento, chamado de ?Royal Ibiza?, prometia no convite bebida liberada e ?drinques afrodisíacos?.

A festa rave, que começou por volta de 22h em 14 de outubro, foi encerrada pelos policiais pouco depois da meia-noite. A operação contou com o apoio de agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e a presença de comissários da Vara da Infância e da Juventude.

Fonte: G1