Polícia investiga agressão "traiçoeira" em Japonês do Funk

Polícia investiga agressão "traiçoeira" em Japonês do Funk

"Japonês do funk" foi encontrado morto na última quarta-feira em Santos

A polícia está investigando um ferimento na cabeça do empresário Ricardo Vatanabe, o ?Japonês do Funk?, encontrado enforcado na madrugada de quarta-feira (28) em Santos, no litoral de São Paulo. A polícia também já sabe o horário em que o empresário recebeu a última ligação antes de morrer. O enterro do empresário aconteceu nesta quinta-feira (29).

O principal ponto da investigação, até o momento, é o ferimento na cabeça. "Pode ter havido uma luta corporal com alguém, ou ele ter sido agredido de uma forma traiçoeira. Eu ainda não li minuciosamente o laudo necroscópico, mas isso evidentemente é um fato importante, porque inclusive pode linear o modo de operação do autor do crime", explica o delegado Luiz Eduardo Fiori Maia.

A investigação já conseguiu descobrir que o último telefonema atendido por ?Japonês do Funk? aconteceu por volta da meia-noite e foi feito pelo mesmo amigo que encontrou o corpo as 2h. Com essa informação, a polícia já consegue determinar aproximadamente a hora em que o crime aconteceu. "Estamos mantendo contato com as pessoas, que de uma certa forma, estão envolvidas com as investigações, para que a gente possa ter alguma informação nova para dar sequência nos trabalhos", conta o delegado.

Ricardo trabalhava com eventos há mais de 10 anos e foi candidato a vereador, em Santos, em duas oportunidades. Durante o velório, parentes e amigos organizaram um cortejo e passaram em frente a uma casa de shows que o empresário era sócio, em São Vicente. O enterro aconteceu no Cemitério Memorial de Santos.

Crime

Ricardo Vatanabe foi encontrado enforcado com um fio na madrugada desta quarta-feira (28) em Santos, no litoral de São Paulo. No começo da manhã a polícia descartou a hipótese de que o empresário tenha se suicidado.

A polícia foi chamada por volta das 2h30, por meio de uma denúncia anônima, e ao chegar na casa que fica na rua Nove de Julho, no bairro Marapé, encontrou o corpo do Japonês do Funk sentando em uma cadeira, enforcado com um fio. Não havia sinais de arrombamento.

Ricardo havia completado 42 anos recentemente. Segundo amigos da vítima, no imóvel funcionava o escritório dele. O empresário era um dos proprietários de uma das principais casas de shows em São Vicente.

Três câmeras de monitoramento funcionam no imóvel. Uma filma imagens do lado de fora, uma dentro da sala, voltada para a porta de entrada, e a terceira fica em uma escadaria. O equipamento com as imagens foi apreendido, mas as informações são de que as gravações só aconteceram até as 20h30.

Foi apreendida ainda uma carteira com 101 dólares. O empresário era natural de Presidente Prudente e se candidatou duas vezes para a Câmara Municipal de Santos, sem sucesso. Na última eleição, obteve mais de 3.600 votos.

Fonte: G1