Polícia investiga ameaça de morte contra filha de Fafá de Belém

O Deic tentará identificar o autor das mensagens.

A Polícia Civil de São Paulo investiga ameaças de morte e de estupro feitas por um internauta contra a filha e a neta da cantora Fafá de Belém na internet. A também cantora Mariana Belém, de 35 anos, registrou boletim de ocorrência no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) na segunda-feira (29) após receber comentários ofensivos pelo Twitter.

"Acabei de sair do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Boletim de Ocorrência feito e ordem de Justiça expedida. Agora é com a polícia e nada mais posso falar", escreveu Mariana em sua conta da rede social. "Uma pessoa está me ameaçando de morte e de estuprar a mim e minha filha. Por favor, denunciem o perfil como eu fiz. Obrigada".

Mariana tem duas filhas, que tem cerca de 5 anos e outra de seis meses de vida. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou, por meio de nota, que o Deic registrou as denúncias feitas por Mariana como "crimes contra honra e ameaça" que a cantora "sofreu através de uma rede social."

"Foi instaurado inquérito e as investigações seguem em andamento", conclui o comunicado enviado pela pasta. O Deic tentará identificar o autor das mensagens.

“Oremos. Agora é rezar que a burocracia seja feita rápido. Com a ordem de justiça o Twitter cede os dados", postou Mariana em seu Twitter. Ela informou ainda que tirou cópia das ameaças antes de o responsável por elas apagar a conta dele.

O material foi entregue à investigação, segundo a cantora. "O print é uma coisa maravilhosa, né? A conta pode cair que a gente segue tendo provas. Que vocês tenham um dia lindo e abençoado", escreveu Mariana na rede social.

Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Polícia investiga caso de estupro (Crédito: Reprodução)
Fonte: Com informações do G1