Polícia investiga morte de torcedor corintiano dentro de rio em SP

Polícia investiga morte de torcedor corintiano dentro de rio em SP

Família encontrou o corpo após ver uma mensagem na internet

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, investiga a morte de Douglas Karin Silva, de 27 anos, encontrado na segunda-feira (29) no Rio Tietê, em São Paulo. A principal suspeita é que ele tenha sido assassinado depois de uma briga de torcidas na madrugada de domingo (28). Segundo a Secretaria da Segurança Pública informou ao G1, agentes da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), do DHPP, irão apurar as circunstâncias do crime.

Nesta terça (30), médicos peritos do Instituto Médico-Legal vão realizar exames para descobrir a causa da morte de Douglas. O rapaz ficou dois dias desaparecido e a família começou uma busca para encontrá-lo. Os parentes dizem que acharam o corpo no Rio Tietê, próximo à Ponte da Casa Verde, e chamaram os bombeiros. As buscas começaram depois que os familiares viram uma mensagem na internet. O texto dizia que um torcedor corintiano havia sido jogado no rio.

Douglas e dois amigos saíram no sábado para ir à quadra da Gaviões da Fiel no Bom Retiro, região central da cidade. Eles queriam assistir à transmissão de uma competição de luta nos telões. Depois seguiram para a Zona Norte.

Em depoimento à polícia, um dos amigos que estava com Douglas contou que um grupo de torcedores palmeirenses se encontrou com três ônibus com corintianos na Avenida Inajar de Souza, na Freguesia do Ó, Zona Norte. Os integrantes das torcidas começaram a brigar.

Douglas e outros corintianos tentaram se afastar assim que viram a confusão, mas foram cercados por um grupo de aproximadamente 40 torcedores do Palmeiras. Os amigos conseguiram fugir, mas a vítima foi dominada e agredida.

Douglas tinha passagem pela polícia. Ele foi condenado por roubo, estava em liberdade condicional e não podia ficar na rua depois das 22h. A família diz que ele tinha bom comportamento. Douglas era casado e trabalhava como jardineiro.

Fonte: G1