Polícia investiga namorado de jovem que matou amante

Polícia investiga namorado de jovem que matou amante

Verônica confessou ter sufocado o empresário até a morte dentro do quarto de um motel

A Polícia Civil informou, nesta terça-feira, que vai investigar a participação do atual namorado de Verônica Verone de Paiva, 18 anos, na morte do empresário Fabio Gabriel Rodrigues, 33 anos. Amante da vítima por dois anos, Verônica confessou ter sufocado o empresário até a morte dentro do quarto de um motel em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

A suspeita da polícia veio após uma afirmação de Verônica durante seu segundo depoimento, prestado na segunda-feira. Ela disse estar namorando um homem do Rio de Janeiro há três meses. No sábado, ela negou que mantinha relacionamento amoroso com a vítima e apresentou detalhes diferentes sobre a roupa que Fabio usava e a forma como ele caiu. Na segunda-feira, a jovem afirmou que, após empurrar o empresário, ele caiu desacordado. Com raiva, ela teria o enforcado e, quando viu sangue na boca do amante, "percebido o que fazia".

Segundo Verônica, Fabio havia bebido com amigos entre as 13h e as 22h de sexta-feira, antes de encontrá-la em Itaipuaçu, distrito de Maricá. Na casa da jovem, o empresário teria ingerido desinfetante depois que a mãe da estudante tirou uma garrafa de vodca da mão dele. Em seguida, Fabio teria saído com a jovem e ido a duas favelas, Inferninho e Caniçal, na Região Oceânica de Niterói, para comprar maconha e cocaína.

Na chegada ao motel, segundo a acusada, ocorreu a tentativa de estupro e o assassinato. Verônica teria tentado, sem sucesso, tirar o corpo do motel. Depois, ela teria ido para casa e telefonado para a irmã, pedindo que ela ligasse para o amante e verificasse se ele estava bem.

Telefonemas com ameaças

À polícia, a ex-mulher do empresário contou que descobriu a relação do marido com Verônica depois que a estudante lhe telefonou afirmando que acabaria com a vida dele. A jovem teria ligado após Fabio ter faltado a um encontro. O sobrinho da vítima contou que a estudante ligava até 140 vezes por mês para Fabio, sendo que, em alguns telefonemas, descrevia detalhes da rotina dos filhos do empresário, de 4 e 7 anos, e ameaçava as crianças.

"Meu tio era forte. Tinha 1,90 m e 90 lg. Lutava. Acreditamos que ela o dopou para matá-lo. Ela ficou com ciúme por vê-lo com uma mulher. Ele não mantinha um relacionamento sério com Verônica. Eram encontros esporádicos", contou o sobrinho. Verônica foi indiciada por homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de cadáver.

Fonte: Terra, www.terra.com.br