Polícia investiga tiroteio em fazenda de Daniel Dantas

Os agricultores sem-terra ocupam desde fevereiro a fazenda, que fica em Xinguara

O fim de semana foi violento em uma fazenda no interior do Pará. Invasores sem-terra enfrentaram seguranças e houve troca de tiros. O confronto mostrou que o clima no campo é de guerra. O tiroteio acabou com oito feridos e foi registrado, com exclusividade, pelo repórter cinematográfico Felipe Almeida, da TV Liberal , afiliada da Rede Globo no Pará.

As cenas parecem de faroeste. Os agricultores sem-terra ocupam desde fevereiro a fazenda, que fica em Xinguara. O banqueiro Daniel Dantas é um dos donos da área. Segundo funcionários da propriedade, no sábado (18), os sem-terra tentaram invadir a sede da fazenda. Os repórteres da TV Liberal Victor Haôr e Felipe Almeida estavam na propriedade e contaram que, juntamente com outros jornalistas, foram usados pelos sem-terra.

?Os sem-terra obrigaram os jornalistas a ficarem à frente do grupo, como se utilizassem um escudo humano", contou o repórter Victor Haôr, por telefone.

Armados com espingardas, revólveres, facões e pedaços de pau, os sem-terra destruíram um carro que bloqueava a estrada. ?Quando vi que ia acontecer um tiroteio, corri", lembrou o cinegrafista Felipe Almeida, por telefone.

Em seguida, os sem-terra avançaram em direção aos seguranças da propriedade, que estavam fortemente armados. Começou um tiroteio. Os sem-terra recuaram um pouco, mas depois o confronto recomeçou.

Gravação

Os flagrantes foram registrados pelo repórter cinematográfico Felipe Almeida. ?Comecei a gravar. Aí você perde a noção da gravidade do fato e quer fazer imagem. Foi o que eu fiz. Depois, achei uma mangueira, fiquei atrás da árvore?, contou.

Um sem-terra foi baleado na barriga. No tiroteio, sete integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e um segurança ficaram feridos. A polícia abriu inquérito e vai apurar crimes como cárcere privado, porte ilegal de arma e tentativa de homicídio.

Depois do confronto, jornalistas e funcionários da fazenda ficaram impedidos de sair da área porque os sem-terra bloquearam a entrada da propriedade. Só no domingo (19) à tarde, depois de quase um dia na fazenda, é que os jornalistas foram retirados, de avião.

Informações contraditórias

Segundo hospitais da região, alguns dos feridos já foram liberados. Mas nenhum corre risco de morrer.

Uma liderança do MST afirma que os sem-terra foram à sede da fazenda tentar resgatar um integrante do grupo, que estaria em poder dos seguranças. Já os seguranças e jornalistas que estiveram no local negam a informação.

De acordo com a advogada dos proprietários da fazenda, há uma reintegração de posse concedida, que ainda não foi cumprida.

Fonte: g1, www.g1.com.br