Polícia mata suspeito de assassinato de mãe e filho e sequestro de uma jovem adolescente

Polícia mata suspeito de assassinato de mãe e filho e sequestro de uma jovem adolescente

Polícia mata suspeito de assassinato e sequestro e resgata adolescente


Polícia mata suspeito de assassinato e  sequestro e resgata adolescente
Mais de 150 policiais participaram das buscas em uma floresta do Estado de Idaho (noroeste dos Estados Unidos) na tentativa de encontrar Hannah Anderson (na foto acima), 16, e seu suposto raptador, James Lee DiMaggio

Um homem da Califórnia suspeito de matar uma mulher de 44 anos e o filho dela de oito anos e ainda de sequestrar a filha da vítima de 16 anos foi morto a tiros neste sábado (10), em Idaho, por um agente do FBI. A jovem foi resgatada com segurança, disseram autoridades norte-americanas.

James Lee DiMaggio, 40, foi morto por um agente do FBI enquanto as autoridades tentavam levá-lo sob custódia, quase uma semana depois de matar Christina Anderson em Boulevard, um povoado rural ao leste de San Diego, na Califórnia.

A jovem, Hannah Anderson, foi encontrada em um lago com DiMaggio e resgatada pelas autoridades, aparentemente bem de saúde. Ela foi levada de helicóptero para um hospital em Idaho e deve se encontrar com o pai neste domingo (11).

"Hannah está a salvo, e esta era nossa expectativa, nossa prioridade", afirmou Andrea Dearden, porta-voz do Departamento de Polícia de Idaho.

A porta-voz do escritório do FBI em Salt Lake City, Mary Rook, disse que DiMaggio e a adolescente foram flagrados por agentes de uma equipe especial de resgate de reféns em um acampamento perto de um lago por volta das 17h20 (hora local).

Mais de 150 policiais participaram das buscas em uma floresta do Estado de Idaho (noroeste dos Estados Unidos) na tentativa de encontrar a adolescente e James Lee DiMaggio.

O grupo de policiais, que inclui detetives de todo o país e agentes do FBI, procuram por ar e terra DiMaggio e Hannah Anderson nas florestas às margens do rio Salmon, uma remota área silvestre com montanhas altas e profundos cânions no centro de Idaho, apelidada de "floresta sem retorno".

"A área onde fazemos as buscas é um terreno escabroso, é uma área de floresta, assim os métodos tradicionais de busca não vão funcionar", declarou a jornalistas Andrea Dearden, porta-voz do gabinete do xerife do condado de Ada, em Idaho.

"Usamos apoio aéreo, vamos a pé, a cavalo", prosseguiu, sem querer dar detalhes dos recursos empregados. "As comunicações também são um desafio, embora estejamos preparados com toda a tecnologia possível", acrescentou.

As buscas se concentram neste bosque protegido, depois que excursionistas a cavalo revelaram pensar ter visto na quarta-feira DiMaggio e a adolescente, que supostamente parecia estar saudável e usando equipamentos de camping.

Na sexta-feira (9), a polícia encontrou o Nissan Versa azul de DiMaggio perto do povoado rural de Cascade, aos pés das montanhas do rio Salmon, depois que as buscas por DiMaggio e Hannah Anderson se estendeu da Califórnia aos estados de Nevada, Washington e Oregon, no noroeste do país.

DiMaggio, de 40 anos, é suspeito de ter sequestrado a adolescente no domingo passado, depois de matar a mãe dela, Christina Anderson, de 44, e o irmão de oito anos em Boulevard, um povoado rural ao leste de San Diego.

Os restos mortais dos dois foram encontrados na casa incendiada de DiMaggio, que era amigo da família há anos.

Na segunda-feira (5) passada, às 11 da noite, milhões de californianos receberam uma mensagem de texto em seus celulares com um som estranho: era uma "alerta âmbar", que notificava o desaparecimento de Hannah Anderson e pedia informações sobre DiMaggio e seu Nissan Versa.

Com este alerta, que foi tema de conversas durante uma semana nas redes sociais e fora delas, as autoridades californianas estrearam um novo sistema de informação pública aos moradores do Estado. (Com Reuters e AFP)

Fonte: ;o