Polícia ouve 6 pessoas sobre morte de idosa enterrada em casa

Polícia ouve 6 pessoas sobre morte de idosa enterrada em casa

Idosa foi parcialmente enterrada nos fundos da casa.

A polícia já ouviu o depoimento de seis pessoas para tentar esclarecer a morte de Alpha Dias Kieling, de 76 anos, encontrada morta e parcialmente enterrada nos fundos da casa onde morava, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, como informa o Bom Dia Rio, nesta terça-feira (31).

O corpo da idosa foi sepultado na tarde de segunda-feira (30) no Cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio. O executivo Robert Dannenberg, filho dela, foi amparado por parentes e amigos.

Alpha falou pela última vez com o filho, que mora em São Paulo, há cerca de duas semanas. Nos últimos dias, vizinhos sentiram falta dela.

No último sábado (28), Robert publicou uma mensagem no Facebook, em que dizia que a mãe tinha sido vista pela última vez no dia 20 de julho, em casa. Ele comunicou o desaparecimento à polícia, no dia 27, e equipes chegaram a fazer buscas em Teresópolis, na Região Serrana, onde a idosa tinha uma casa.

O corpo de Alpha só foi encontrado pelo filho no domingo (29), já em estado de decomposição. A morte da idosa assustou moradores do condomínio.

Caseiro é suspeito

O vigia de uma das casas, que prefere não mostrar o rosto, disse que o caseiro de Alpha tinha um comportamento estranho. Ele trabalhava na casa há pelo menos quatro meses.

?A gente não pode dizer de certeza se foi ou não a pessoa, Mas ele é um suspeito. Tem 12 anos que eu trabalho aqui na rua. Eu nunca vi uma coisa dessas?, disse o vigia.

Em depoimento à polícia, o chefe da segurança do condomínio também levantou suspeitas sobre o caseiro. Os investigadores ainda não descartam nenhuma hipótese e vão ouvir todas as pessoas que tinham contato com Alpha.

Na casa dela, não havia sinais de arrombamento. Mas alguns objetos foram roubados, segundo o filho. ?Joias, uma bicicleta e frigobar?, disse Robert Dannenberg.

Os agentes já solicitaram as imagens de câmeras de segurança que ficam perto da casa de Alpha. A polícia espera agora o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML) para chegar ao assassino. Os investigadores já têm um suspeito.

?O fato de ela ter sido parcialmente enterrada nos leva a crer que houve um crime homicídio com ocultação de cadáver?, disse o delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios (DH), que investiga o caso.

Fonte: G1