Polícia pedirá quebra de sigilo bancário de pai de Eloá

A proposta é descobrir quem estaria pagando as despesas de todos eles fora de Alagoas

A Pol?cia Civil de Alagoas vai pedir a quebra o sigilo banc?rio do ex-cabo da Pol?cia Militar Everaldo Pereira dos Santos, pai da adolescente Elo? Pimentel, seq?estrada pelo ex-namorado, Lindemberg Alves, e morta com dois tiros h? tr?s semanas.

Segundo o delegado-geral da Pol?cia Civil alagoana, Marc?lio Barenco, al?m dele est?o inclu?dos outros quatros policiais e cabos da pol?cia militar, todos suspeitos de integrar a Gangue Fardada, organiza??o criminosa que funcionava na d?cada de 90, acusada de roubo de cargas, assaltos a bancos, roubo de ve?culos e crimes de pistolagem. Everaldo est? foragido.

A proposta ? descobrir quem estaria pagando as despesas de todos eles fora de Alagoas. "Vamos pedir a quebra do sigilo banc?rio para termos acesso a informa?es. Merece uma investiga??o o fato do Everaldo estar sendo defendido por um dos escrit?rios de advocacia mais caros de S?o Paulo", disse.

Neste final de semana, a pol?cia conseguiu prender o ex-soldado da PM Manoel Bernardo de Lima Filho, que conhecia e trabalhava com Everaldo em Alagoas, tamb?m nas supostas a?es de pistolagem.

"A causa que levou a ressurgir todos estes foragidos foi a fatalidade da menina Elo? e, a partir da?, o trabalho investigativo se iniciou e a gente s? p?ra com a pris?o de todos", afirmou Barenco.

"O que chama a aten??o ? a localidade onde eles estavam, todos em S?o Paulo, com documentos falsos, por vezes vindo a Alagoas. Isso j? ? uma certeza, (vinham) esporadicamente a Alagoas. Everaldo e outros estiveram aqui no ano de 2006, 2007 e 2008. N?o sei o porqu?, as investiga?es v?o dizer. Visitar parentes, fazer contatos, mas tudo com documento falso e a certeza da impunidade", afirmou o delegado.

A pol?cia quer descobrir tamb?m se os integrantes da suposta gangue tinham contatos entre si e se eram "bancados" por pol?ticos alagoanos. "N?o descanso enquanto n?o prender todos os foragidos", disse.

Fonte: Terra, www.terra.com.br