Polícia prende acusado de matar marido de Ângela Bismarchi

Polícia prende acusado de matar marido de Ângela Bismarchi

O acusado foi preso por policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha

A polícia do Rio prendeu na noite desta sexta-feira (23) mais um acusado de matar o cirurgião plástico Ox Bismarchi, ex-marido da modelo Ângela Bismarchi, em 2002.

Luiz Fernando da Conceição, segundo a Polícia Civil, teria participado do homicídio do cirurgião. Ele foi apresentado no 14º DP (Leblon) na manhã deste sábado (24) e confessou a participação no crime, mas negou que tenha efetuado os disparos.

Conceição afirmou que estava no primeiro andar quando os tiros foram disparados no segundo andar da casa. Segundo a polícia, ele não tinha advogado constituído.

"Ele confessou que estava na casa, mas disse que estava em outro lugar do imóvel no momento que os disparos aconteceram", disse a delegada titular da 14ª DP, Flavia Monteiro.

O acusado foi preso por policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha, na zona sul.

Contra ele havia um mandado de prisão expedido em razão do homicídio do cirurgião. Os PMs chegaram até Conceição por meio de informações anônimas fornecidas ao Disque-Denúncia.

Outro preso

Na madrugada da última terça-feira (20), a Polícia Civil de Pernambuco prendeu outro suspeito do assassinato de Ox Bismarchi.

João Marcelino de Lima, 33 anos, foi preso na cidade de Igarassu, na região metropolitana do Recife.

Segundo a polícia, ele trabalhou como caseiro na mansão do cirurgião localizada em São Conrado, zona sul do Rio. Lima negou participação no cirme.

O crime

O crime aconteceu em dezembro de 2002. As investigações da polícia civil concluíram que o caso foi de latrocínio (roubo seguido de morte).

Pelo menos quatro homens entraram na casa da vítima, que percebeu a movimentação e reagiu ao assalto, atirando contra os bandidos, segundo a polícia.

Os criminosos dispararam três tiros contra o ex-marido da modelo, dois no rosto e um no tórax, e fugiram.

Fonte: UOL