Polícia prende casal acusado de execução macabra no Ceará

Polícia prende casal acusado de execução macabra no Ceará

Captura de casal acusado de execução seria o início de uma série de prisões no Sertão Central

Na última sexta-feira, penúltimo dia de 2011, a equipe do delegado regional da Polícia Civil de Quixadá-CE, Marcos Sandro Nazaré de Lira capturou um casal acusado da autoria intelectual do homicídio do mecânico Francisco Erismar Luciano de Oliveira, 35 anos, conhecido por ?Mazinho?. Ele foi assassinado na tarde de 12 de julho, atingido por vários disparos de pistola, pelas costas, quando seguia de sua residência para a concessionária de motocicletas Motocedro, onde era chefe de oficina. De acordo com a Polícia o crime foi um ?presente de aniversário? do mandante para sua amasia.

Silmara Adélia do Vale Menezes, 34 anos, natural de São Paulo, administradora, e João Carlos Cabral Queiroz, 25 anos, natural de Quixadá, vigilante, foram presos pelos policiais civis Ulisses Guanabara e Gilberto Lima quando saiam da casa de familiares, em Quixadá. Contra o casal foi decretado mandado de prisão preventiva da 1ª Vara da Comarca de Quixadá, com base nas provas colhidas pela Polícia Civil. Os policiais realizaram uma campana para capturar a dupla que havia retornado à cidade para comemorar o Ano Novo na companhia de parentes. Eles moram em Fortaleza.

De acordo com o delegado Marcos Sandro, a trama do crime impressiona. Há três anos, Silmara vivia com outro homem. Na época ela comemorava a vitória do Corinthians na conquista do campeonato paulista, na sua casa, em Quixadá, e passou a estourar fogos. O mecânico não gostou do barulho, estava com uma criança doente em casa. Os vizinhos foram às vias de fato e no decorrer da confusão o mecânico esbofeteou Silmara e o então companheiro. O caso foi parar no Juizado Especial da cidade, um ano após, exatamente no dia do aniversário dela. A queixosa desistiu da ação, e presenteou seu desafeto com um bombom. Era a sentença de morte do mecânico.

Silmara separou-se do então companheiro e há pouco mais de ano passou a viver com João Carlos, conhecido por ?Cacá?, nove anos mais novo. Ainda conforme o delegado, por conta do início do romance, ela teria exigido do amado uma prova de amor, como presente de aniversário. Pediu a ele que lhe desse um presente especial, matasse o mecânico. O caprichoso pedido foi atendido; Cacá contratou um pistoleiro e o crime foi executado. O assassinou já foi identificado. O nome não foi revelado para não atrapalhar as buscas. A Polícia estava à procura dele.

Ao serem interrogados Silmara e Cacá, negaram envolvimento no crime. Ela confirmou a briga com a vítima, mas disse ser coisa passada, tanto que teria desistido da ação contra Mazinho. Mas uma testemunha, cujo nome é mantido em segredo, revelou toda a trama criminosa. Hoje essa testemunha está sob os cuidados do Programa de Proteção da Justiça. O delegado não revelou outros detalhes. Acrescentou apenas que os trabalhos foram realizados juntamente com a delegada municipal Érika Cecília Moura.

GREVE

A divulgação das prisões seria feita juntamente com a captura de mais mandantes e executores de outros crimes na região do Sertão Central, todavia os policiais civis de Quixadá e Quixeramobim aderiram à greve reiniciada pela categoria na noite da última quarta-feira, dia 4. Segundo as lideranças do movimento a paralisação deve continuar e diversas investigações serão prejudicadas pelo que consideram incompreensão do Governo do Estado. A categoria afirma querer apenas salários justos e condições de trabalho.

Fonte: Diario do Nordeste