Polícia prende filho de dono de restaurante que matou turista por R$ 7

Polícia prende filho de dono de restaurante que matou turista por R$ 7

Diego Souza estava embaixo da cama quando foi detido. Pai de Diego esfaqueou um turista por diferença na conta de R$ 7

Diego Souza Passos, filho do dono de um restaurante em Guarujá, no litoral de São Paulo, que matou um cliente após uma discussão na conta de R$ 7, foi preso na tarde desta terça-feira (15) por ocultação de provas. Diego Souza Passos, que segundo testemunhas teria começado a confusão com os turistas, é filho de José Adão Pereira Passos, que confessou ter matado a facadas Mário dos Santos Sampaio. Diego estava embaixo de uma cama quando foi preso.

De acordo com informações da polícia, assim como José Adão, Diego foi preso por ter escondido as câmeras de monitoramento da churrascaria. Segundo os policiais que efetuaram a prisão, o gerente do estabelecimento estava embaixo de uma cama no momento da prisão. José Adão foi preso na última quarta-feira (9), pelo mesmo motivo, e segundo testemunhas, ao fugir do restaurante após o crime, ele e o filho levaram os equipamentos onde estariam as gravações e, portanto, ocultando provas do assassinato.

Caso

Mário Sampaio estava em uma churrascaria acompanhado de três amigos e da namorada quando a confusão começou. Segundo a polícia, o jovem se recusou a pagar o valor de R$ 19,99, alegando que o valor divulgado era de R$ 12,99. Após uma grande discussão, envolvendo o dono da churrascaria, José Adão Pereira de Passos, e o filho dele, Diego Souza Passos, Sampaio foi esfaqueado e acabou morrendo no local. Testemunhas disseram para a polícia que em momento algum o estudante agrediu os funcionários do restaurante.

Por outro lado, José Adão, responsável pelas facadas que mataram Mário, alega que atacou o turista para defender o filho, que estaria sendo espancado. Durante o depoimento, José Adão, que está preso, disse que a confusão começou quando um dos clientes deu vários chutes nele após o bate-boca por causa da conta.

Fonte: G1