Polícia prende pai e filho médicos suspeitos de participação na morte do médico Artur Eugênio

Polícia prende pai e filho médicos suspeitos de participação na morte do médico Artur Eugênio

Ele foi encontrado morto na noite da segunda-feira, dia 12 de maio, às margens da BR-101, em Jaboatão dos Guararapes.

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira (03), pai e filho médicos suspeitos de participação no assassinato do também médico Artur Eugênio de Azevedo. Eles tiveram a prisão temporária decretada por 30 dias e serão levados para a Delegacia de Homicídios de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes. O crime aconteceu no último dia 12 de maio.

Os dois detidos foram Cláudio Amaro Gomes e Cláudio Amaro Gomes Júnior. O pai é cirurgião torácico e chefe da Unidade de Recuperação Cárdio-Torácica, do Real Hospital Português, mesmo local em que a vítima trabalhava. Ele tomou posse no cargo em setembro passado. Além disso, o especialista também seria professor adjunto doutor da Universidade Federal de Pernambuco e membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.



Artur Eugênio de Azevedo Pereira, de 36 anos, também era cirurgião torácico do Real Hospital Português. Ele era casado e deixou um filho pequeno. A vítima foi arrastada por dois homens na entrada do prédio onde morava, na Rua dos Navegantes, em Boa Viagem. Depois de sair do Hospital Português, Artur seguiu para sua residência, mas não conseguiu entrar no edifício Marbella. Uma dupla em um carro interceptou o Golf preto dele, de placas OYS-1564, e um homem armado entrou no veículo à força. Na sequência, o carro saiu em alta velocidade com o suspeito e a vítima. As câmeras de monitoramento do prédio registraram a ação.

Ele foi encontrado morto na noite da segunda-feira, dia 12 de maio, às margens da BR-101, em Jaboatão dos Guararapes. O carro foi localizado um dia depois, no dia 13, carbonizado, no bairro da Guabiraba, Recife.





Fonte: Boa informação