Polícia prende suspeito de ataques racistas para Taís Araújo e Maju

Com ele, foi apreendido um notebook, uma CPU e um celular

Foi preso na manhã desta quarta-feira, 16, um dos homens suspeitos de participar dos ataques de teor racista contra atrizes, jornalistas e apresentadas de TV. A prisão temporária de Tiago Zanfolin Santos da Silva, 26 anos, acusado de injúria racial, aconteceu na cidade de Brumado (a 555 quilômetros de Salvador).

Com ele, foi apreendido um notebook, uma CPU e um celular. Tiago, segundo a polícia de Brumado, trabalha em uma empresa de informática e foi detido em casa. Ele não resistiu à prisão.De acordo com o delegado Leonardo Rabelo, coordenador da Coorpin/ Brumado, o acusado é integrante de uma organização criminosa que age na internet. Este grupo é responsável por ataques contra as atrizes Taís Araújo, Sharon Menezes e Chris Vianna; a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju do Jornal Nacional; e as apresentadoras Xuxa Meneghel e Angélica.

Taís Araújo foi alvo de ataques racistas (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )
Taís Araújo foi alvo de ataques racistas (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )


Os policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro, responsáveis pela Operação Cyberstalking, cumpre, desde a madrugada desta quarta, mandados de prisão em diversos estados (Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina).Foram cumpridos quatro mandados de prisão e 11 de busca e apreensão. De acordo com a DRCI, um dos líderes do grupo suspeito de cometer os ataques é um adolescente, localizado em São Paulo. Outro suspeito de cometer o crime é paranaense, mas já está preso desde 2015 pelo crime de pedofilia.O material apreendido com Tiago será encaminhado para o Rio de Janeiro.



Tiago Zanfolim Santos (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )
Tiago Zanfolim Santos (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )
Polícia apreendeu um celular e um computador com acusado  (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )
Polícia apreendeu um celular e um computador com acusado (Crédito: Divulgação/ Polícia Civil )
Fonte: a Tarde