Polícia prendeu 2 suspeitos de matar prefeito de Jandira-SP

Polícia prendeu 2 suspeitos de matar prefeito de Jandira-SP

Carro em que Walderi Braz Paschoalin (PSDB) foi alvejado por tiros

O prefeito da cidade de Jandira, localizada a cerca de 38 quilômetros da capital paulista, Walderi Braz Paschoalin (PSDB), foi assassinado a tiros na manhã desta sexta-feira na frente de uma rádio onde tinha um programa semanal. A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de terem cometido o crime. Ambos foram encontrados próximos a um carro que supostamente teria sido usado na ação. Havia galões de gasolina no local, o que levou a polícia a levantar a tese de que o carro seria incendiado.

O som dos cerca de 15 tiros que atingiram o carro em que estavam o prefeito e o seu motorista foram captados pelos microfones da rádio, que transmitia no momento do crime uma reportagem falando sobre o próprio prefeito. O barulho assustou os locutores, que chegaram até a brincar no estúdio com o operador de som. (Ouça o áudio, só disponível para os navegadores Mozilla Firefox, Chrome e Safari).

De acordo com informações da Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 8 horas, quando o prefeito chegava à Rádio Astral, onde participava todas as sextas-feiras do programa "Bom Dia, prefeito". O motorista do prefeito, Wellington Martins, que o acompanhava no carro, também foi atingido. Ele foi transferido para o Hospital das Clínicas de São Paulo, onde encontra-se em estado gravíssimo. O prefeito chegou a ser socorrido no pronto-socorro da cidade, mas chegou morto ao local.

O delegado Eymar Ferreira Junior afirmou que cápsulas de fuzis e de pistola 9 mm foram encontradas no Fiesta, carro em que estavam o prefeito e o motorista. Cápsulas de 9 mm também foram encontradas dentro de um carro Focus localizado logo depois do atentado, com três perfurações, na Estrada Velha de Itapevi, no Parque Nova Jandira, próximo ao local do crime.

Segundo o delegado Marcelo Prado, da Seccional de Carapicuíba, que participou da primeira etapa de investigação, não há sinais na cena do crime de que o prefeito tenha sido vítima de tentativa de roubo de carro. Uma adolescente de 17 anos teria presenciado o crime, segundo a polícia. Ela foi levada pela polícia para uma delegacia da cidade para prestar depoimento.

O prefeito de 62 anos foi eleito em 2008 com 42% dos votos válidos. Ele começou a carreira política aos 28 anos quando foi eleito vereador. Segundo informações disponíveis no site da cidade, a primeira vez que Paschoalin concorreu ao cargo de prefeito foi em 1982, ficando em terceiro lugar nas eleições.

No início da tarde, o PSDB divulgou nota em que lamentou a morte do prefeito. No documento, o presidente do PSDB de São Paulo, deputado Antonio Carlos Mendes Thame, e o secretário geral, César Gontijo, pediram a investigação do caso. ?Ao longo de sua vida pública, Paschoalin foi um exemplo de liderança na região e lutou pelos avanços de Jandira ao longo de seus três mandatos à frente da Prefeitura. Sua morte abrupta é uma perda inestimável para o PSDB e para o Estado de São Paulo?, afirma a nota. A prefeitura de Jandira decretou cinco dias de luto oficial pela morte de Braz Paschoalin.

O Ministério Público de São Paulo afirmou nesta sexta-feira que vai acompanhar a investigação sobre o crime contra o prefeito de Jandira. Há seis inquéritos civis contra o prefeito no Ministério Público. Dois promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) acompanharão junto com a Polícia Civil o andamento das investigações sobre o assassinato, assim como fizeram no caso de Celso Daniel (PT), prefeito de Santo André assassinado em 2002.

Fonte: IG