Polícia retoma buscas por Eliza em sítio de ex-policial

Cães farejadores ajudam na procura ao possível corpo da ex-amante de Bruno

Quatro equipes da Polícia Civil de Minas Gerais, com o apoio de cães farejadores e do Corpo de Bombeiros, retomaram na manhã desta sexta-feira (9), em Esmeraldas (MG), as buscas no sítio ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, Paulista, Russo ou Neném. Ele está preso e é suspeito de matar Eliza Samudio, ex-amante do goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes.

A polícia acredita que o corpo de Eliza possa estar enterrado no sítio, que fica na rua Dália 9, bairro Coqueirais. Segundo o delegado Frederico Abelha, que acompanha as buscas, moradores da região teriam informado que próximo ao sítio já foi encontrado o corpo de um taxista e que o local seria uma área de desova.

Pontos controversos ainda marcam o desaparecimento e morte de Eliza. A Polícia Civil tenta esclarecer o local onde ela teria sido assassinada. No sítio em Esmeraldas e na casa de Vespasiano não foram encontrados indícios de que alguém tivesse sido assassinado e o corpo cortado.

Na casa do bairro Santa Clara, em Vespasiano, teria sido achada uma faca de cozinha, fincada sobre uma mesa de madeira. O primo de 17 anos de Bruno que disse ter presenciado a morte afirmou à polícia que, depois que a mulher foi assassinada, teria ficado "tomando conta do corpo", em um sítio, até ser definido para onde ele seria levado.

Depoimento de Bruno em MG

Bruno deixou a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) e seguiu para o Departamento de Investigações, onde vai prestar depoimento ao longo do dia. Policiais informaram à Rede Record que ele poderá fazer exame de DNA para comprovar a paternidade do filho de cerca de cinco meses que teria com Eliza, desaparecida há um mês. Segundo a polícia, uma equipe de técnicos pode recolher o sangue do atleta, se ele aceitar. Bruno passou a noite no presídio de segurança máxima e foi obrigado a vestir um uniforme de presidiário. Nesta manhã ele acordou e tomou café. O goleiro e os outros sete envolvidos no desaparecimento de Eliza negam envolvimento.

Fonte: R7, www.r7.com