Polícia vai ouvir testemunha-chave do caso Vanessa

Delegado disse que pessoa estava próxima ao local onde corpo de supervisora foi encontrado

A Polícia Civil deve ouvir ainda nesta semana uma testemunha que estava próxima ao local onde a supervisora de vendas Vanessa Vasconcelos foi encontrada morta. De acordo com o delegado Zacarias Tadros, responsável pelo caso, ela é uma testemunha-chave para entender como ocorreu a morte da jovem. O corpo de Vanessa foi encontrado no último dia 13, em um matagal em Vargem Grande Paulista.

Nesta segunda-feira (21), o delegado informou ainda que as garrafas de álcool usadas pelos criminosos para tentar colocar fogo no carro que a vítima usava no momento do crime foram compradas em um supermercado de Vargem Grande Paulista. Ele disse que o estabelecimento pode ter imagens do momento da compra.

A Polícia Civil fez buscas pelos suspeitos na Grande São Paulo. De acordo com as investigações, os dois homens foram para Araraquara, cidade a 273 km de São Paulo, na última terça-feira (15) e pretendiam chegar ao Paraguai. Na cidade, porém, eles brigaram e teriam se separado. Tadros afirmou não saber a motivação da briga, mas há informações de que tenha sido por causa de dinheiro.

Suspeitos

A Polícia divulgou neste domingo (20) a identidade de um dos suspeitos de matar a supervisora. De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o nome do suspeito é Edson Bezerra Gouveia, 35. Ele teve o retrato falado divulgado na última terça-feira (15) e a prisão decretada na sexta-feira (18).

Segundo o delegado Zacarias Tadros, responsável pelas investigações, o suspeito morava em uma casa próxima à da vítima. O homem, que já teve o apelido de Buda, é conhecido atualmente como Gigante, pois tem 2,03 m.

O delegado disse ainda que o suspeito seria bastante viciado em crack. No dia do crime, testemunhas informaram que ele tinha machucados no braço e que estaria bastante transtornado. Inclusive, segundo o delegado, ele teria confessado que cometeu o crime.

A Polícia Civil informou também que identificou o segundo suspeito de participar do crime. De acordo com a polícia, o suspeito é amigo de Gouveia e também tem passagem pela polícia.

Fonte: R7, www.r7.com