Policiais militares são presos acusados de agressão em boate

A Polícia Civil vai ouvir testemunhas que ajudem a esclarecer a briga que aconteceu dentro de uma boate na Ilha do Governador, no Rio

A Polícia Civil vai ouvir testemunhas que ajudem a esclarecer a briga que aconteceu dentro de uma boate na Ilha do Governador, no Rio. A confusão foi na madrugada de sexta-feira (9) e deixou um jovem de 28 anos ferido. Dois policiais militares foram presos acusados da agressão.

O jovem, Rorion Moraes, sofreu inúmeras agressões na cabeça e desamaiou. "Vamos ouvir pessoas que ajudem a esclarecer essa briga. Por enquanto, sabemos que um policial militar foi responsável pela agressão. O outro PM estava no local, mas não sabemos qual foi seu envolvimento", explicou o delegado Deoclécio Francisco Filho, da 37ª DP (Ilha do Governador), responsável pelo caso.

Imagens mostram agressões

Os PMs foram identificados pelas câmeras do circuito interno da casa noturna no momento em que chegam ao local. As imagens do interior da boate mostram quando a vítima se desentende com um homem. Um amigo tenta afastá-lo e ele cai. Ao se levantar, leva um soco e, em seguida, ele é atingido por um banco de madeira. Desmaiado, ele leva mais chutes, que só param quando os seguranças da casa entram em ação.

O delegado informou também que uma patrulha da PM esteve no local na noite do incidente. Os PMs foram identificados e serão indiciados por prevaricação, já que omitiram socorro. ?Podia ter morrido, podia ter ficado aleijado. Do jeito que eles agiram ali, uma pessoa normal não age?, disse a vítima após ser socorrida.

A Corregedoria da Polícia Militar investiga se outros policiais tiveram envolvimento na briga.

Fonte: Globo