Tráfico: Operação prende policiais no Maranhão

Tráfico: Operação prende policiais no Maranhão

Prisões ocorridas neste domingo, em Tutoia, fazem parte da "Operação Água Limpa" da Polícia Civil

As prisões ocorridas neste domingo, em Tutoia, fazem parte da "Operação Água Limpa" da Polícia Civil.



SÃO LUÍS - A Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Civil do Maranhão, deflagrou, na manhã deste domingo (27), a ?Operação Água Limpa?, de combate ao tráfico de drogas e com o intuito de cumprir mandados de prisão e busca no município de Tutoia, localizado a 463 quilômetros da capital maranhense, na região do Alto Parnaíba.

A operação começou desde a última quarta-feira (23) e prosseguiu até este domingo (27) com um total de 10 prisões. Em Tutóia, na residência Raimundo Nonato da Conceição Teixeira foi apreendida uma motocicleta, certa quantia de maconha e celulares; Francisco Silva da Paz, com 40 pedras de crack; José Evandro Oliveira Lima e sua esposa Raimunda Nonata Alves da Silva; Edvaldo Cardoso da Conceição, ?Nego? e Maria de Lurdes Ramos da Costa, sua companheira.

Em São Luís, policiais do Departamento de Narcóticos (Denarc) efetuaram a prisão de Flávio Vieira Barroso Filho, vulgo ?tarioba?, considerado um dos maiores traficantes daquela região. Ele foi localizado em uma casa na Avenida Norte interna s/nº, Cidade Operária, onde foi apreendido um revólver calibre 38 com 5 munições. Além do mandado de prisão por tráfico, Flávio será autuado por posse ilegal de arma de fogo. Na residência do traficante em Tutoia, os policiais encontraram um veículo Hilux NMZ 2223 cor preta e uma motocicleta sem placas.

O irmão dele, Luciano da Silva Barroso, também foi preso na cidade. Em poder dele foram apreendidos um veículo Eco Sport NZB 2469, uma moto Bros, celulares e 26 munições de calibre 45.

Os policiais Civis Francisco Borges de Jesus, conhecido como ?Teté? e José Pergentino Machado Filho foram presos e autuados por facilitação para o tráfico. Segundo as provas, eles facilitavam o comércio ilegal de drogas, dando apoio e recebendo propina dos traficantes.

Já o resto do bando será indiciado por tráfico e associação para o tráfico. Eles estão sendo transferidos para a capital. As duas mulheres deverão ir para o Presídio Feminino e os homens para o Centro de Triagem, unidades prisionais localizadas em Pedrinhas.

Tutoia, Água Limpa

A operação foi batizada de Água Limpa pela etimologia da palavra ?Tutoia?. Um dos estudos aponta que o nome vem de origem tupi guarani e significa ?água boa? e faz jus a cidade, banhada por riachos e açudes de águas límpidas, cristalinas e das piscinas naturais entre as dunas, que fazem parte do Delta do Parnaíba.

A ação foi desencadeada a partir de investigações que apontaram um intenso comércio de entorpecentes que abastecia toda aquela região. Os trabalhos foram conduzidos pelo delegado Almir Macedo, que foi designado juntamente com uma equipe de investigadores da Polícia Civil, para aquela cidade a fim de monitorar toda a rota de venda dos entorpecentes e identificar as pessoas envolvidas com o crime.

O delegado Almir Macedo disse que os trabalhos contaram com o apoio da Promotoria, do Poder Judiciário e da Delegacia de Combate a Crimes Funcionais (Sicrif) da Polícia Civil, que forneceram informações e depoimentos a Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI).

Para dar reforço no cumprimento dos mandados de busca, prisão e apreensão, a SPCI enviou mais uma equipe de cinco investigadores e o delegado Carlos César Veloso

Fonte: Imirante, www.imirante.com.br