Policiais são acusados de ajudar flagrante de marido traído no RJ

Testemunhas contaram que, ao flagrar a mulher com o amante, o empresário a agrediu.

Policiais do 28º BPM são acusados de dar suporte a um homem que invadiu um motel em Barra Mansa, no sul do Estado do Rio de Janeiro, e flagrou a mulher com o amante nus, na última quinta-feira. Segundo testemunhas, seis policiais fardados teriam acompanhado o marido traído, um empresário do ramo de joias de 50 anos. O comandante do batalhão negou e disse que, quando seus subordinados chegaram ao local, o empresário já havia entrado no estabelecimento.

Testemunhas contaram que, ao flagrar a mulher com o amante, o empresário a agrediu. Segundo o coronel Antônio Jorge Gonçalves Moreira, o homem teve que ser contido pelos policiais militares.

Em entrevista ao jornal Diário do Vale, de Volta Redonda, o marido traído disse ter sido vítima de agressão, e não o agressor. Segundo testemunhas, a intenção do empresário seria conseguir provas contra a mulher para ficar com os dois filhos do casal: um menino de 3 anos e um bebê de 8 meses. O caso foi registrado na 90ª DP (Barra Mansa) como lesão corporal mútua e violência doméstica.

Flagrante para obter provas

Ainda segundo o coronel Antônio Jorge, o dono do motel também negou que os policiais militares tivessem invadido o estabelecimento. A direção do motel não quis comentar o caso. O marido estaria investigando a mulher há um ano, com ajuda de um detetive particular.

O empresário explicou que não teve intenção de denegrir a imagem da mulher, mas que foi ao motel porque recebeu uma denúncia anônima. Ele confirmou que pretende se separar da mulher e lutar pela guarda dos filhos. Para ter provas contra ela, chamou a imprensa local. Os filhos de um casamento anterior do empresário também filmaram o flagrante. O empresário, a mulher e o amante passaram por exames no Instituto Médico Legal (IML).

Para evitar tragédia, PM acionou o 190

O comandante do 28º BPM, coronel Antônio Jorge Gonçalves Moreira, negou que os PMs tivessem invadido o motel. "Não ficou comprovado que eles invadiram o estabelecimento. O empresário chegou ao motel com advogado, os dois filhos do primeiro casamento e funcionários. Ele entrou em contato com um policial militar, afirmando que iria fazer uma besteira. E esse policial, temendo uma tragédia, ligou para o 190 e seguiu para o local. Quando a viatura chegou ao local, o empresário já havia invadido o quarto do motel", disse. Segundo o coronel, a guarnição intercedeu e encaminhou todos à delegacia.

Fonte: Terra