Policiais são acusados de roubar, molestar e atirar no rosto de mulher de 23 anos com fuzil

O PM ainda mandou que a moça fechasse os olhos, antes do disparo que atingiu seu rosto

Já rezou??. Essa foi a última frase que H., 21 anos, ouviu de um dos policiais militares acusados de roubar, abusar e tentar matá-la, sexta-feira à noite, na Estrada das Paineiras, no Alto da Boa Vista. Em meio à escuridão do local deserto, o PM ainda mandou que a moça fechasse os olhos, antes do disparo que atingiu seu rosto e a derrubou de uma ribanceira de cinco metros de altura. Ontem, foi decretada a prisão temporária de 30 dias do cabo Marcelo Machado Carneiro, 40, e do soldado Rodrigo Nogueira Batista, 30, lotados no 1º BPM (Estácio).

A investigação revela a frieza com que os PMs agiram. Depois que a moça caiu, eles iluminaram com uma lanterna para verificar onde estava. Segundo a polícia, Marcelo e Rodrigo deram algumas voltas e, depois de um tempo, retornaram às Paineiras para ter certeza de que a vítima não saíra de lá viva. H. tentava subir até a estrada, mas ao ouvir a aproximação, deitou novamente e fingiu estar morta. Depois, agarrando-se aos galhos das árvores, conseguiu chegar ao asfalto e pediu socorro a um ciclista.

SOB PROTEÇÃO

O tiro que atingiu a moça pode ter sido de fuzil calibre 7.62, já que foi encontrada uma cápsula no local do crime. A vendedora será incluída no Programa de Proteção à Testemunha e pensa em processar o estado. Por volta das 4h, os PMs registraram na 6ª DP (Cidade Nova) um suposto tiroteio na Rua Barão de Petrópolis, no Rio Comprido. A polícia investiga hipótese de os acusados terem relatado a ocorrência para justificar o uso da munição.

?Achei estranho porque é uma área que tem traficantes dos dois lados. Não seria possível uma simples abordagem ali?, disse o coronel César Taner, comandante do 1º BPM, contando que os policiais deixaram o serviço mais cedo. ?Eles teriam que sair às 7h mas deixaram o quartel às 5h?, disse. Segundo o oficial, à meia-noite os dois PMs foram abordados pela equipe de supervisão na porta da unidade. Marcelo e Rodrigo serão submetidos ao Conselho Disciplinar.

?Uma extorsão cometida por um PM potencializa o crime?, afirmou o comandante-geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte.

Cabo foragido é localizado

O cabo Marcelo foi detido no fim da noite de sábado, na casa de um parente, em Cosmos. O soldado Rodrigo já havia sido preso à tarde. Marcelo foi localizado por policiais do Serviço Reservado (P-2) do 1º BPM. Na delegacia, a dupla foi reconhecida pela vítima.

Segundo o delegado-adjunto Alexandre Braga, o cabo preferiu não depor, por estar, aparentemente, alcoolizado. Rodrigo é acusado de ter atirado na jovem, mas negou o crime. No fim da tarde de ontem, os dois foram levados para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica.

Busca a pertences roubados

Equipes do Ministério Público e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core)realizaram ontem diligências para cumprir mandados de busca e apreensão. Um dos objetivos foi encontrar o dinheiro, documentos e o celular da vendedora.

O namorado da vítima, que preferiu não se identificar, contou que, com os R$ 1.750 roubados, H. iria comprar móveis e uma TV para a casa nova. ?O dinheiro costumava ficar comigo. Ela pedia para guardar na minha conta para ela não gastar?, disse.

?Como fazem uma covardia dessas??

?Ela saiu da minha casa dizendo que ia para a casa da mãe dela. Mas de manhã, me ligou dizendo que tinha levado um tiro de fuzil. Fiquei desesperado. Como fazem uma covardia dessas? Os PMs ficam esperando quem desce do morro para revistar. Se o dinheiro fosse ilícito, o que não é, que a prendessem?. LUÍS, namorado de H., 23 anos

Fonte: O Dia Online-RJ