Policial dono de arma que feriu mulher no carro de Adriano não será indiciado

Policial dono de arma que feriu mulher no carro de Adriano não será indiciado

Segundo Polícia Civil, Adriene admitiu ter pego arma à revelia do policial.

A assessoria da Polícia Civil informou nesta quinta-feira (29) que o policial militar reformado dono da arma que disparou no carro do jogador Adriano, ferindo Adriene Cyrilo, no sábado (24), não será indiciado. Segundo a assessoria, a jovem admitiu ter pego a arma à revelia do PM. Já a assessoria da Polícia Militar do Rio confirmou nesta quinta que o policial deverá reponder a uma sindicância interna, mesmo sendo reformado, para apurar se teria sido negligente no manuseio de sua arma.

A Polícia Civil confirmou que Adriene também não será indiciada por ter mentido ao acusar o jogador de ter efetuado o disparo. Ela admitiu na quarta-feira (28), após acareação e reconstituição com os outros passageiros do carro, que ela mesma disparou o tiro que a feriu. Adriene foi atingida na saída de uma boate na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. No momento do disparo, estavam no carro outras três mulheres, Adriano e o policial militar reformado amigo do jogador.

O delegado Fernando Reis, que investiga o caso, destacou na quarta que, apesar da confissão de Adriene, o inquérito ainda não está encerrado. Reis disse também que aguarda o resultado dos exames para saber se havia resíduo de pólvora nas mãos de Adriano ou de Adriene.

"O caso aconteceu no sábado e hoje já demos um passo importante, mas ainda não sei quando o inquérito será concluído. Depois de fazer o relatório da investigação vou encaminhá-lo ao Ministério Público, que vai deliberar sobre o caso e decidir se o processo deverá ser arquivado ou se vai apresentar denúncia", disse o delegado, que informou que entrará de férias em janeiro.

Adriene foi liberada na quarta do Hospital Barra D"Or, na Barra da Tijuca, e foi direto para a delegacia participar da reconstituição e acareação. Ela passou por uma cirurgia de reconstrução da mão esquerda na terça-feira (27). Segundo a polícia, Adriene Cirylo deixou uma dívida de R$ 82 mil no hospital.

Fonte: G1