Policial é acusado de ameaçar família de amante assassinada

Crime aconteceu em 2002, e também teria a participação da esposa do acusado.

A família da ex-secretária Viviane Brandão, que teria sido morta em 2002 por um cabo da Polícia Militar de quem seria amante, denuncia que está sendo vítima de ameaças feitas pelo homem e pela mulher dele, Geralda da Silva Sales Simplício, que também é acusada de participar do crime.

Segundo a filha da vítima, Edivaldo Sales Simplício ameaça a mãe de Viviane, Ana Brandão, todas as vezes que se encontra com ela. Os familiares ainda afirmam que um incêndio que atingiu a casa também teria sido provocado por ele.

Um dia minha avó "tava" lá em baixo com minha irmã tomando sorvete, a mulher [Geralda] passou e quase derrubou o sorvete da minha irmã todo em cima dela.

Moradora do bairro Nazaré, na região nordeste de Belo Horizonte, Ana ainda espera encontrar os ossos da filha, desaparecida desde 2002.

? É uma ferida grande que não cicatriza.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Viviane Brandão seria amante do cabo Sales, e teria sido morta por ele e por Geralda pois ele queria colocar um fim no relacionamento entre os dois.

Para tentar se "aproveitar" da "popularidade" conseguida com o caso, o acusado chegou a se candidatar a vereador por três vezes, sem sucesso.

Ana Brandão faz um paralelo entre o caso da filha e o caso da ex-modelo Eliza Samudio. Segundo ela, os crimes foram semelhantes, mas o goleiro Bruno está preso, enquanto o cabo Sales continua solto.

? Eles falam que um cachorro comeu os ossos da Eliza Samudio. E a minha [filha], que cachorro que comeu?

O processo chegou a seguir para o Superior Tribunal de Justiça, de onde retornou para o Tribunal de Justiça de Minas Gerais para ser julgado em 2a instância. Conforme o órgão, o caso está com um desembargador, e não é possível checar a situação atual do mesmo.

Fonte: r7