Policial é dopado para preso fugir de xadrez no Ceará

Uma mulher teve participação direta na fuga ao conseguir entrar no prédio e ludibriar o porteiro e um policial

O estelionatário Francisco Edivânio Alves Ferreira conseguiu fugir de um dos xadrezes da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza (CE). A fuga, que ocorreu entre a noite de sexta-feira (25) e a madrugada de sábado, teve a participação direta de uma mulher, que entrou no prédio em um horário não permitido. Ela teria oferecido um suco (supostamente contendo algum substância entorpecente), ao porteiro e a um permanente (policial), e depois que os dois dormiram, pegou as chaves, abriu o xadrez e libertou o companheiro.

Conforme apurou a Reportagem, a mulher foi autorizada a entrar no prédio por um porteiro, identificado apenas como Jurandir, alegando que gostaria de entregar o lanche ao companheiro. Depois que entrou, ela ofereceu suco ao funcionário e ao policial, que fazia a segurança dos presos recolhidos no xadrez da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), onde Edivânio estava recolhido. Os dois teriam adormecido e o plano de fuga foi concretizado.

Inquérito

Na mesma cela onde Francisco Edivânio Alves Ferreira escapou estavam outros 10 presos, mas nenhum deles fugiu. A Polícia Civil já está investigando as circunstâncias misteriosas da fuga. O diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Jairo Façanha Pequeno, afirmou que estava obtendo mais informações sobre o caso, dessa forma, ainda não poderia afirmar de que forma ocorreu o fato.

"Um inquérito já foi instaurado para apurar o que realmente ocorreu, se houve facilitação ou qualquer outra irregularidade. Para começar, depois das 19 horas, só é permitido a entrada de pessoas no prédio, com a devida autorização. Se depois da investigação foi descoberto algum ilícito os culpados serão punidos", afirmou Jairo. O delegado afirmou ainda que diligências estão sendo realizadas para recapturar o fugitivo, que foi preso por aplicar o golpe do ´bilhete premiado´.

Essa não é a primeira vez que mulheres participam diretamente de fugas em delegacias da Capital. Em 2009, um preso foi resgatado do 24º Distrito Policial, no Jereissati II, por uma mulher, que chegou à delegacia informando que iria levar comida para o preso. Ela rendeu o policial que abriu a cela.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br