Policial, sozinho, evita fuga de 11 detentos após serrarem grades no 6º DP de Fortaleza

O policial efetuou dois disparos para conter os presos, mas dois conseguiram fugir

O primeiro semestre do ano ainda nem terminou e, pelo menos, 111 homens já conseguiram escapar das delegacias da Capital e Região Metropolitana de Fortaleza. Dezenas de casos já foram registrados e a superlotação continua sendo a mola propulsora de rebeliões e fugas.

Uma fuga em massa foi evitada, na madrugada de ontem, na carceragem do 6º DP (Messejana). Os 11 presos que estavam recolhidos no xadrez 1 da distrital serraram as grades da cela e tentaram fugir pelo telhado. O alarme eletrônico instalado na delegacia disparou e o inspetor que estava de plantão, identificado como ´Ricardo´, correu para o local e se deparou com vários detentos tentando escapar.

O policial efetuou dois disparos para conter os presos. Mesmo com a ação rápida do permanente, dois ainda conseguiram fugir.

Ao ouvir os disparos efetuados pelo inspetor, policiais militares que estavam de serviço na 2ª Companhia do 5º BPM, vizinho a delegacia, se dirigiram para o local e ajudaram a recapturar um dos fugitivos, identificado como Francivaldo Rodrigues da Silva. No entanto, o outro detento, Daniel Almeida Paula, preso sob acusação de roubo desde fevereiro deste ano, conseguiu escapar.

Logo após a fuga, por volta das três horas da madrugada, os dez presos do xadrez 1, foram transferidos para a outra cela. Pela manhã, após a realização de uma vistoria, os policiais descobriram que uma das barras de ferro do xadrez 2, também estava serrada, mas o trabalho ainda não havia sido concluído pelos presos. A recuperação das duas celas foi providenciada ainda na manhã de ontem.

Alarme

O delegado Luis Carlos Barbosa assumiu ontem a DP, mas ficaram a cargo do inspetor-chefe da unidade, Matias Araújo, as informações sobre a fuga. Conforme o inspetor, atualmente, 22 presos estão recolhidos nos dois xadrezes. Segundo ele, a fuga em massa só não ocorreu devido ao alarme ter disparado e à coragem do policial, que, inicialmente, sozinho, controlou os detentos.

De acordo com Matias Araújo, serras e outros objetos entram nas celas, por meio de lanches que são levados para os presos, apesar dos produtos serem vistoriados pelos inspetores antes de serem entregues aos presos, eles sempre encontram uma forma de burlar a segurança, Por isso, ressalta Matias, vistorias permanentes são realizadas nas celas. ?Já encontramos serra até dentro de pão?, disse.

A situação de superlotação nas DPs deve ser amenizada com a inauguração de duas novas Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPL), em Itaitinga. Uma delas deve ser inaugurada no dia 30 e a segunda, no mês de julho.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br