População usa trotes para pedir rondas da Polícia

População usa trotes para pedir rondas da Polícia

Os habitantes de Teresina têm usado uma tática controversa para conseguir que as patrulhas circulem.

Uma prática inusitada tem atrapalhado cada vez mais o trabalho da Polícia Militar do Piauí. Moradores da capital estão passando trotes para a central do 190, relatando ocorrências que não existem, para que as viaturas circulem nos locais relatados. O objetivo seria obter uma ?ronda? com a presença das unidades.

A informação é do coronel José Albuquerque, comandante do policiamento da capital. De acordo com ele, esse é um tipo de situação que vem ocorrendo com frequência crescente. ?As pessoas ligam, informam uma situação inexistente e pedem a presença da polícia. Chegam a relatar até mesmo a presença de pessoas suspeitas. Até crianças costumam fazer esse tipo de ligação?, detalhou o coronel.

Albuquerque condenou a prática, e afirmou que isso vem dificultando o trabalho dos policiais. ?Enquanto deslocamos uma viatura para um chamado que é um trote, deixamos de atender várias outras ocorrências reais. Além disso, isso implica em gastar combustível, usar viaturas desnecessariamente e também prejudicar nossos recursos humanos?.

A central de atendimentos do 190 recebe até 1.200 chamados em dias de pico ? geralmente finais de semana em que algum grande evento ocorre. O número de trotes acompanha esse crescimento e também aumenta nos dias de sábado e domingo. Quando há a previsão de uma maior demanda nas ligações, a central disponibiliza o trabalho de até 10 atendentes de forma simultânea, número que costuma cair nos dias de semana.

?Se nos finais de semana mais agitados o número de ligações pode superar os mil chamados, em uma segunda ou terça-feira, por exemplo, essa quantidade fica de 400 a 500 ligações. A frequência dos atendimentos é menor na parte da manhã, aumenta um pouco à tarde e cresce bastante durante a noite?, explicou Albuquerque.

Fonte: Dowglas Lima