Presidiário é estrangulado e espancado com barras de ferro no pavilhão P-7, em Fortaleza

Ele cumpria pena de 18 anos e seis meses de reclusão, por homicídio e assalto

R?u confesso de um homic?dio cometido em julho de 2007, nas depend?ncias do Instituto Penal Paulo Sasarate (IPPS), em Aquiraz (Regi?o Metropolitana de Fortaleza), o detento Ant?nio M?rcio Alves, 27 anos, foi morto nas mesmas circunst?ncias, ou seja, com extrema viol?ncia e num dia de visita aos presos.

M?rcio Alves, que cumpria pena de 18 anos e seis meses de reclus?o, por homic?dio e assalto, foi estrangulado e espancado com barras de ferro na Rua ?C? do Pavilh?o 7 (P-7) do IPPS. Depois, seu corpo foi ocultado no forro da cela 57, onde ele cumpria sua pena.

A morte teria ocorrido durante a madrugada, mas a dire??o da penitenci?ria s? tomou conhecimento do fato no meio da manh? de ontem. As visitas aos presos transcorreram normalmente e apenas no fim da tarde o corpo foi periciado e recolhido ao Instituto M?dico Legal (IML), de Fortaleza.

Na rua ?C? do IPPS, onde ocorreu o crime, impera a ?Lei do Sil?ncio?. Contudo, o diretor do IPPS, coronel Ant?nio de Oliveira Ferreira, acredita que a morte trata-se de ?mais uma dentro do pres?dio motivada por d?vida de drogas?.

Com o ?bito do preso Ant?nio M?rcio Alves subiu para 14 o n?mero de detentos mortos no IPPS este ano. Em 2007, o total de mortes na maior penitenci?ria do Estado tamb?m chegou a 14. Ainda ontem, em vistoria na rua ?C?, os agentes encontraram telefones celulares, armas artesanais, barras de ferro, drogas em papelotes e v?rios litros de cacha?a.

Fonte: Diário do Nordeste